marketing digital-para-startups-erros-a-evitar

Marketing Digital para startups: erros a evitar

Marketing Digital para startups: erros a evitar

Veja o que você precisa ter cuidado ao desenvolver estratégias de Growth Hacking para startups.

Qualquer estratégia relacionada ao desenvolvimento de um produto de uma startup em estágio inicial não é exclusiva dos desenvolvedores de software. Assim como a distribuição e promoção não são apenas marketing. O Growth Hacking é um método de trabalho e uma abordagem que não pertence a um único departamento da empresa, mas é obtido da interseção de marketing, pesquisa de produto, design, análise de dados, programação e atendimento ao cliente.

Lançar sua própria startup é um grande desafio. O B2B está cheio de riscos e detalhes técnicos que devem ser conhecidos. As startups que entram no B2B muitas vezes precisam iniciar uma viajem sem um mapa do tesouro disponível. A geração de leads e o desenvolvimento da marca são as partes mais difíceis durante essa evolução, porque, ao contrário do B2C, alcançar clientes e mantê-los não é tão fácil. O growth hacking é uma das estratégias que os gerentes de marketing nos setores B2B adotaram para superar as dificuldades.

Há toneladas de dicas e táticas a seguir quando se trata de Growth Hacking, mas poucos identificam erros a serem evitados, e é por isso que pensamos em citar os mais importante neste artigo:

marketing digital-para-startups-erros-a-evitar

Não analisar uma técnica antes de aplicá-la

O maior erro que você pode fazer com uma inicialização é aplicar uma técnica de teste A/B sem considerar se é a solução mais adequada para o seu produto. Cada produto e mercado são únicos e precisam de diferentes técnicas de marketing. Usar uma ideia apenas porque ela foi bem-sucedida para outro negócio sem uma análise sólida por trás disso pode fazer mais mal do que bem na inicialização. Sugerimos evitar esse tipo de erro, e fazer uma análise do produto, do cliente e dos concorrentes.

Não compreender o comportamento do consumidor

O cenário atual colocou o consumidor no centro da cadeia de compra e venda. Uma startup deve entender completamente o comportamento de seus clientes se quiser triunfar. Informações sobre demanda do consumidor, ciclo de vendas, comentários do consumidor e suas revisões devem ser coletadas e usadas para desenvolver estratégias de marketing digital. Se você não assumir esse tipo de abordagem, poderá oferecer ao cliente final um produto ou um serviço que não atenda aos seus reais desejos. Nesse sentido, entender seu Buyer Persona é muito importante.

Não prestar atenção ao gerenciamento de risco

Outro erro é a falta de atenção ao gerenciamento de riscos. O risco é uma parte indispensável do negócio, independentemente do produto com o qual você está trabalhando. Um plano de gerenciamento de riscos deve estar no centro de qualquer estratégia de negócios. Na verdade, ele pode ser usado como uma ferramenta para aumentar a reputação da empresa e seu crescimento. Um exemplo disso foi o que o Airbnb fez durante o furacão Sandy em 2012 reduzindo muito suas tarifas e ofereceu acomodação a todas as pessoas que estavam com problemas causados pelo furacão, como resultado desse ímã natural, essa estratégia de marketing inteligente teve um ROI muito importante a longo prazo e beneficiou várias pessoas atingidas pelo desastre.

Deixar o trabalho apenas nos ombros de uma pessoa

Pensar que o growth hacking é o trabalho de uma única pessoa é uma abordagem de falência, toda a organização deve estar envolvida. A geração de leads é um processo que envolve o departamento de marketing, o departamento comercial e o foco no cliente, por isso eles têm que trabalhar em harmonia e trocar ideias e opiniões para criar novas ideias voltadas para o crescimento da empresa.

Não se concentrar nos benefícios que o produto está oferecendo

A apresentação do produto é a primeira coisa em que uma startup deve funcionar. A maneira como você apresenta o produto a um possível comprador faz a diferença na criação de vendas e rotatividade para sua empresa. Há uma tendência para se concentrar nas características e funções do produto e muitas vezes eles esquecem os benefícios. Este é um erro que pode ter impacto na geração de novas oportunidades de vendas a longo prazo.

Ignorar os custos

Uma startup deve ter um orçamento em todos os processos internos, como: marketing digital e gerenciamento de mídia social. Ignorar custos ou não fazer previsões pode ter um grande impacto no crescimento futuro da empresa. O Custo por Aquisição (CPA) deve ser mantido sob controle durante a execução de sua estratégia. Este indicador dará uma boa aproximação à estratégia e seus resultados esperados, indicando para a startup se é melhor continuar com a estratégia atual ou mudar a abordagem.

O growth hacking é um elemento essencial para qualquer startup de B2B por sua abordagem agressiva e com foco em resultados, em pouco tempo você já pode ter resultados significativos. No entanto, os erros estão sempre na esquina e podem ter um grande impacto na estratégia adotada. Uma análise cuidadosa, execução impecável e a capacidade de ser flexível e se adaptar às mudanças repentinas no mercado são as melhores maneiras de eliminar esses erros e trazendo sua startup para o crescimento permitindo-lhe dar esse passo extra que muitas vezes distingue as poucas startups que são bem sucedidas daqueles que infelizmente descobrem tarde demais ter cometido um erro em sua abordagem ao mercado.

e a sua startup está fazendo o caminho certo na estratégia de marketing digital?

nossos especialistas certificados estão à sua disposição para uma consultoria gratuita de 60 minutos para ajudá-lo em todas as fases de uma estratégia de marketing digital eficaz para sua startup.

Nosso time de especialistas em Inbound marketing está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


guia-definitivo-marketing-para-startup

Marketing digital para startup: o guia definitivo

Marketing digital para startup: o guia definitivo

Quais devem ser as estratégias de marketing digital que uma startup não pode subestimar?

É muito comum ouvir sobre uma Startup com grande potencial que fracassou miseravelmente. Apesar de idéias inovadoras e equipes qualificadas e preparadas, muitas delas na realidade não conseguem enxergar uma luz. Por quê? Nós da Intuitiva temos uma explicação do porque isso acontece: por falta de um bom plano de marketing estratégico. É por isso que hoje queremos oferecer um guia para o Marketing de Startups: há operações que não devem ser subestimadas e queremos explicar o que são e como funcionam.

O marketing é uma ferramenta maravilhosa capaz de elevar o destino de empresas inteiras com poucas e cuidadosas operações. Se é tão eficaz para empresas já desenvolvidas, pode não seria para uma Startup? A resposta é óbvia: a estratégia de marketing é uma parte fundamental de toda realidade comercial, seja no começo de uma empresa ou em empresas já bem estruturadas.

guia-definitivo-marketing-para-startup

Como agência de marketing digital, conhecemos todos os segredos desse mundo. Independentemente do produto ou serviço oferecido, a estratégia de marketing digital deve ser baseada em alguns pilares fundamentais. Muitas Startups acham que podem contornar obstáculos tomando rotas mais curtas e menos caras, mas isso realmente faz sentido? O orçamento disponível deve ser usado para encontrar o caminho para o sucesso. Sem investir em marketing digital e sem depender de um especialista – seja interno ou externo, você corre o risco de afundar e não conseguir subir nunca mais.

Muitas Startups acham que podem contornar obstáculos tomando rotas mais curtas, a verdade è que sem investir em marketing digital correm o risco de afundar e não conseguir subir nunca mais.

IDENTIFICAR E ENTENDER A AUDIÊNCIA

Antes de começar a construir um caminho de marketing estratégico para a sua Startup, é essencial entender para qual público você deve voltar sua atenção e, portanto, seu produto. Identificar o público é o primeiro passo da estratégia de marketing: sem ele, toda seção do plano de marketing está destinada a cair como um castelo de areia.

Identificar o alvo certo permite canalizar esforços para um público atento e interessado, mas como reconhecê-lo? Através de pesquisa de mercado. A startup deve começar a analisar o mercado no qual ela quer entrar e comparar as estratégias dos concorrentes. Como eles se saem? Qual audiência eles atraem? Além de que é importante fazer testes para verificar o interesse das pessoas para o produto, dessa forma você terá uma visão mais ampla do público e os segmentos realmente afetados.

Buyer Persona:

Depois de ter realizado a devida pesquisa, vem o momento mágico da criação do buyer Persona. Este é um perfil do cliente ideal, que é criado ad hoc com base em dados coletados em pesquisas de mercado. O buyer Persona tem um nome, um sobrenome, interesses, emprego e aspirações pessoais: é, na verdade, uma verdadeira pessoa. Quanto mais precisa for buyer pessoa, mais precisas serão as estratégias de marketing para capturar sua contraparte real.

DEFINA OS OBJETIVOS

Uma vez que as necessidades do cliente-alvo tenham sido identificadas e compreendidas, é necessário definir objetivos de marketing para manter a Startup “viva” e, mais do que qualquer outra coisa, ativa. Os chamados “goal” são os objetivos que a Startup pretende seguir para continuar caminhando na direção certa e, portanto, crescer.

A questão é delicada: estabelecer objetivos relativamente simples pode ter o efeito de não motivar suficientemente o time, levando a equipe a não dar o melhor de si. Por outro lado, desafios e metas muito difíceis podem reduzir significativamente o moral da equipe, levando a Startup a derrota. O sucesso, como sempre, está no meio. A dificuldade em planejar os objetivos da sua empresa está em entender o equilíbrio certo entre a simplicidade e arrogância.

Os americanos dizem que os objetivos devem ser “SMART”, inteligentes. Neste caso, no entanto, o seu SMART também se torna um acrônimo de Específico, Mensurável, Alcançável, Realista, Limitado ao Tempo. Os objetivos de acordo com nossos primos americanos devem ser específicos, mensuráveis, alcançáveis, realistas e devem ter um prazo.

ANÁLISE DE PALAVRAS-CHAVE E OTIMIZAÇÃO DAS PÁGINAS

Os cronogramas não terminam aqui: se você pretende manter uma Startup viva e fazê-la florescer como uma flor na primavera, você precisa realizar pesquisas e análises das palavras-chave. O problema com as palavras-chave é que muitas vezes você ainda está preso a uma dimensão de SEO “antiquada”, que é o exemplo descrito na prática abaixo:

Passo 1

Pense em algumas palavras-chave que poderiam corresponder à pesquisa do cliente-alvo

Passo 2

 Insira essas palavras-chave na ferramenta Google Keyword Planner

Passo 3

Escolha as palavras-chave mais adequadas com base nos seus sentimentos

Isso não é mais aplicável, pois é ineficaz. O Google Keyword Planner é, sem dúvida, uma ferramenta fundamental no estudo de palavras-chave, mas deve ser usado com critérios. Esta ferramenta deve suportar o estudo das palavras-chave realizadas pela Startup, mas não pode e não deve fazer tudo. Há muitos fatores a serem lembrados, que o Planejador de palavras-chave sozinho não avalia. Como exemplo a diferença entre os vários tipos de palavras-chave, por exemplo:

  • Palavras-chave principais
  • Palavras-chave do corpo
  • Cauda Longa

Os primeiros são aqueles compostos por uma palavra e são caracterizados por um volume incrivelmente alto de pesquisa, sem mencionar o nível de competição. Por essa razão, geralmente tentamos evitar o uso dessas palavras-chave, quando dificilmente podemos ganhar às posições no Google. As palavras-chave do corpo são aquelas que têm duas a três palavras. Seu volume de pesquisa é razoavelmente alto e a concorrência é média. Estes podem ser explorados, mas seu uso deve ser ponderado. As palavras-chave de cauda longa, em vez disso, são as mais interessantes: são longas, como o próprio termo diz, porque excedem a quatro palavras. Eles são excelentes para posicionar seu produto ou site porque são específicos e, portanto, atraem o público adequado (o público-alvo). Mesmo estes devem ser estudados e não podem ser inseridos ao acaso: deve haver pesquisas que certifiquem seu uso. Para ajudar a startup, é possível usar o Google Keyword Planner e também o Google Instant. O importante é que não pare apenas nisso.

ATRAIR O TRÁFEGO COM SEO E SEA

Na seção anterior, falamos sobre como as palavras-chave são importantes para tornar seu produto on-line “localizável”. Na verdade, depois de encontrar as palavras-chave apropriadas, você precisará usá-las para otimizar sua presença on-line em seu site. Este processo faz parte do SEO, uma atividade fundamental para tornar seu site, marca e produto visível para o mundo. O único problema com esta estratégia está no prazo.

O SEO é uma combinação de atividades que incluem a resolução de problemas técnicos do site, – conteúdo duplicado, problemas de canonização, etc. – otimização on-page e estratégias off-page úteis para direcionar o tráfego do site. Todas essas operações precisam de tempo e habilidades técnicas para serem realizadas, na verdade, sempre recomendamos confiar nas mãos de profissionais SEO especializados e certificados. Além disso, os resultados são vistos depois de algum tempo: é impensável esperar resultados imediatos do SEO, para resultados imediatos, você precisa de SEA.

Todas as operações SEO, precisam de tempo e habilidades técnicas para serem realizadas, na verdade, sempre recomendamos confiar nas mãos de profissionais SEO especializados e certificados.

O SEO produz resultados sólidos e quase intransitáveis (dos concorrentes), enquanto o SEA produz visibilidade imediata, mas fugaz. SEA (Search Engine Advertising) nada mais é do que uma estratégia que visa a aquisição de tráfego a curto prazo através do uso de ferramentas de publicidade paga: em primeiro lugar, o Google AdWords.

Estratégia Conjunta SEO e SEA

Combinados juntos, SEO e SEA, eles são capazes de dar a Startup tudo o que precisa: visibilidade imediata, solidez da marca e posição de longo prazo.

MARKETING DE CONTEÚDO

Essa estratégia relativamente recente tem como objetivo atrair usuários para o site e aumentar a Startup Brand Awarenss (Traduzido notoriedade da marca). É uma nova maneira de anunciar. Não há mais pontos invasivos ou anúncios que interrompam o dia do usuário: agora será o usuário que, com sua pesquisa, encontrará o artigo publicado por você ou pela equipe de redatores.

Para uma estratégia de marketing de conteúdo bem-sucedida, é necessário, antes de tudo, produzir um plano editorial ad hoc. Depois de ter escolhido e entendido quais tópicos discutir, quando publicá-los e para quais palavras-chave otimizá-los, você pode começar a escrever. Escrever um artigo certamente não é imediato, mas é uma atividade que pode ser feita frequentemente pela Startup. O ideal seria ter uma equipe de redatores a serviço da Startup, desta forma você pode criar conteúdo profissional e interessante que pode aumentar a Brand Awareness da Startup e incrementar a confiança do público nas comparações com os concorrentes.

Depois de criar o conteúdo, você pode passar para a otimização do artigo e da própria página para uma palavra-chave específica, escolhida durante a fase de programação do plano editorial. O conteúdo será, de fato, posicionado para a palavra-chave apropriada e isso fará com que encontre o público alvo, aquele a quem o artigo é endereçado.

Essa ferramenta de promoção, se realizada com total conhecimento dos fatos, pode levar a resultados enormes em termos de visitas e conversões.

Além disso, o custo dessa atividade é realmente baixo.

MARKETING DE MÍDIA SOCIAL

Vivemos na época da comunicação on-line e, como tal, a Startup deve aproveitar as redes sociais para atrair Leads e clientes em potencial. Ferramentas como Facebook, Twitter e Linkedin podem:

  • Trazer um enorme volume de tráfego para o site principal
  • Aumentar a notoriedade da marca da Startup, tornar dessa forma mais conhecido o seu nome
  • Para reter clientes e estabelecer uma relação de confiança com eles
  • Tornar os clientes os verdadeiros promotores da marca, graças à retenção acima mencionada

Redes Sociais são uma ferramenta extraordinária, mas como todas as coisas, deve ser usada corretamente. No Social você precisa de continuidade, por isso é essencial postar pelo menos uma vez por semana. No Social você precisa de profissionalismo, você precisa de conteúdo potencialmente viral e conteúdo com um título atraente. No Social é importante estar sempre presente, por isso é necessário responder instantaneamente às necessidades dos seguidores.

Manter um perfil Linkedin, Instagram, Facebook ou Twitter não é uma caminhada, fazer Marketing nas redes sociais, ainda mais; você tem que gastar muito tempo. Mas isso é pago com o aumento do tráfego, conversões, a proximidade dos usuários à marca e sua lealdade.

Para uma Startup, o uso das redes sociais é essencial, sem elas a Startup estará praticamente perdida desde o começo.

e a sua startup está fazendo os investimentos certos em marketing digital?

nossos especialistas certificados estão à sua disposição para uma consultoria gratuita de 60 minutos para ajudá-lo em todas as fases de uma estratégia de marketing digital eficaz para sua startup.

Nosso time de especialistas em Inbound marketing está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


O que é uma landing page?

O que é uma landing page? como criar uma Landing Page que converta?

O que é uma landing page?.

Como criar uma landing page que converta?.

Uma das coisas mais importantes quando você investe em uma estratégia de inbound marketing ou Marketing Digital, em geral, é certamente criar landing pages que podem gerar leads.

Landing page o que é?.

Uma landing page (tradução em página de destino) é uma página web que tem a função de converter o visitante em lead, preenchendo um formulário específico. Como você pode ver na figura abaixo, no método de Inbound marketing, as páginas de destino são usadas na fase em que os simples visitantes nos fornecem suas informações e, dessa forma, são convertidos em leds.

No processo de geração de leads, uma página de destino é direcionada para um fluxo específico de tráfego, como pode ser uma campanha de email marketing, por exemplo, e com uma landing page você pode converter em Leads uma porcentagem muito maior de visitantes do que poderia fazer com outros métodos.

Em uma estratégia de inbound marketing, uma landing page é uma página web que tem a função de converter o visitante em lead.

fases do inbound marketing

Por que as landing pages são tão importantes?

Simplesmente porque direcionar o tráfego que vem dos links patrocinados, e-mail marketing, ou redes sociais para a home page é uma oportunidade perdida, se em vez disso direcionar o tráfego através de páginas de destino específicas a oportunidade de aumentar a taxa de conversão e maior.

Vamos dar um exemplo para entender melhor, sua empresa tem um novo produto que está promovendo através de uma campanha do Google Adwords. Se um visitante clica-se no link e fosse direcionado para a página inicial da empresa, dificilmente entenderia o que fazer e provavelmente deixaria a página sem nenhuma ação. Nesse caso, sua campanha do Google AdWords certamente não traria os resultados esperados.

Se, no entanto, ao clicar no anúncio e este foi direcionado para uma landing page que ilustra este novo produto, onde pode baixar um guia ilustrado, certamente seria mais inclinado a preencher o formulário e assim se converter de um simples visitante a um leads.

Agora que você entende por que uma página de destino desempenha um papel fundamental em uma estratégia de Inbound Marketing, só precisa criar uma eficaz.

Abaixo, veremos algumas regras a serem respeitadas para ter sucesso com as páginas de destino.

Como tornar uma landing page mais eficaz?

1. Limite a navegação

Como vimos, a função de uma landing page é direcionar o visitante para uma página específica e fazê-lo se tomar leads através uma ação definida, na maioria dos casos, preencher um formulário.

Por esta razão, você não tem que distrair o visitante, exclua o menu de navegação do site e não insira na página de destino links que poderia deixar o visitante sair.

2. Forneça valor

Obviamente, um visitante nunca iria preencher um formulário sem uma oferta de valor. Em nossas páginas de destino, em troca de dados de nossos visitantes, oferecemos sempre conteúdo de qualidade, como:

Guias gratuitos, em formato ebook, que orientam, informam e instruem quem os descarrega ou lê.

Vídeos, arquivos multimídia que sempre visam treinar e orientar, como os tutoriais.

Consultorias, como análise do site, a fim de devolver uma visão geral de seu site e conscientizar o usuário sobre os pontos a favor e contra, e com algumas dicas para melhorar.

3. Seja sintético

Muitas palavras sufocam. Especialmente as conversões! Quanto mais longas e articuladas forem a página de destino e os formulários, mais atrito será adicionado ao processo de conversão de leads. Mantenha a forma curta e simples e aumente a taxa de conversão!

4. Ative o compartilhamento

Para alcançar um público ainda maior do que você definiu: adicione a capacidade de compartilhar o link para a página de destino para incentivar os visitantes do site a compartilhar seu conteúdo com outros.

5. Teste e analise

Não existe uma receita mágica para criar páginas de destino a serem aplicadas a todos os sites: você precisa ver qual página de destino é mais adequada para o website da sua empresa.

Use Google Analytics para analizar os dados, e corrija onde necessário: esta é a única maneira de encontrar a receita certa para o seu negócio!.

e suas landing pages, trazem os resultados que você está esperando?

solicite a análise gratuita de nossos especialistas em inbound marketing do seu website.

Nosso time de especialistas em Inbound marketing está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


seu site é o seu melhor vendedor

Porque o seu site é o seu melhor comercial?.

Porque o seu site é o seu melhor comercial?.

Entenda porque um site eficaz é melhor de um departamento de venda

O setor comercial e o vendedor é uma daquelas figuras que não podem faltar em nenhuma empresa. Que você venda grandes máquinas de construção ou pequenas embarcações de luxo, a equipe comercial deve sempre estar presente. E se essa equipe de vendas transforma-se magicamente em seu site? O site da sua empresa pode ser muitas coisas, não apenas uma vitrine, então porque não um vendedor? Você ainda não sabe, mas o seu site é o seu melhor vendedor, você só precisa saber como “treiná-lo” corretamente.

Definição de comercial:

Qual é o trabalho do vendedor clássico? Certamente trazer para a empresa novos clientes, talvez até animados para celebrar um contrato ou adquirir um determinado bem. Este resultado é a soma de horas de trabalho, esforços e táticas de comunicação estudadas ad hoc para cada único contato. Mas não só isso, você deve adicionar a isso, viagens de negócios e custos adicionais ao salário do vendedor, custos que a empresa deve suportar de qualquer maneira, se o objetivo for alcançado ou não.

É de fato normal considerar um possível “não fechamento” do contrato na gestão comercial diária. No caso específico, no entanto, a perda é maior do que a experimentada com a abordagem on-line, devido a todas as razões mencionadas acima. Mas em geral, há aspectos positivos e negativos em ambas as abordagens, o que nos interessa hoje, no entanto, é descobrir como o seu site pode se tornar um vendedor confiável, eficaz e de baixo custo.

seu site é o seu melhor vendedor

COMUNICAÇÃO

Na era da comunicação digital, onde todos estão conectados via Rede Social, onde os arquivos são compartilhados em espaços imateriais on-line, onde a chamada leva o nome de videoconferência, em todo esse turbilhão de inovações a venda não poderia ser menor.

As inovações tecnológicas deram nova vida ao setor de vendas e permitiram que a empresa abordasse o potencial cliente de maneira menos invasiva. Nos Estados Unidos da América, o processo de aquisição de clientes online é uma prática experimentada e testada. Na Europa é menos, enquanto no Brasil ainda é visto com muita desconfiança. Em nosso país, a comunicação cara a cara ainda é a mais utilizada e apreciada, no entanto, o problema surge no que chamamos de estratégia de “pré-reunião”, que é o conjunto de operações que têm como meta a reunião tão cobiçada.

A clássica “estratégia pré-reunião” inclui:

  • Maciça presença em feiras para coletar contatos.
  • Envio de e-mails promocionais, boletins informativos ou e-mails de acompanhamento.
  • Telemarketing
  • Investimento em publicidade tradicional: folhetos, cartazes, rádio e tv.
  • Uso de Redes Sociais Amadoras
  • Construção do site porque “todo mundo tem e então nós devemos ter também”

As operações descritas aqui são parte de uma abordagem comercialbloqueado” há alguns anos. A necessidade de encontrar novos clientes sempre impôs às empresas uma abordagem premente em relação ao potencial novo comprador, uma abordagem que, no entanto, nem sempre foi sinônimo de resultados.

A comunicação está presente em todos os quatro primeiros pontos da lista, mas é uma comunicação unidirecional: a empresa interrompe e fala, o cliente pára e ouve (supõe-se). Isso dá origem a um sentimento de intolerância em relação a boletins informativos e telefonemas não solicitados, mesmo que sejam realmente interessantes ou úteis, e tende a remover o contato da empresa. Os dois últimos pontos, no entanto, referem-se ao mundo online e sua comunicação específica. Neste momento, a empresa decide pousar na web para uma disputa contra os principais concorrentes, sem a ajuda de uma equipe treinada ou a colaboração de uma agência de marketing Digital. Como não há estratégia alguma, as duas plataformas web – Rede Social e website – são reduzidas a mostrar produtos a um público quase ausente.

COMO TRANSFORMAR O SITE DA EMPRESA NO SEU MELHOR PARCEIRO COMERCIAL?

Ficou provado que um site bem planejado é capaz de atingir muito mais clientes do que uma equipe de vendas bem treinada. Isso ocorre porque o processo de compra e aquisição de informações do usuário acontece em grande parte on-line. O usuário não é mais um ouvinte passivo, interrompido por publicidade e telefonemas indesejados, ele agora é um usuário ativo e exigente, constantemente em busca de informações e ajuda. Não é mais a empresa a se pôr ao cliente, mas o cliente a questionar a empresa.

O usuário agora é ativo e exigente, constantemente em busca de informações e ajuda. Não é mais a empresa a se pôr ao cliente, mas o cliente a questionar a empresa.

O site, portanto, desempenha um papel muito importante, porque é o lugar onde o potencial cliente irá procurar informações, ajuda e soluções adequadas à sua necessidade específica. Por isso o Site, não pode mais ser apenas um mostruário, mas deve ser capaz dedialogar” com o usuário, atraí-lo e convencê-lo a se tornar um cliente.

Mas concretamente, quais são os primeiros passos para transformar seu site em um comercial com todos os acompanhamentos?

  • Crie Call to Action claros e atraente.
  • Certifique-se de que as informações no seu site sejam claras e adequadas ao seu público-alvo.
  • Certifique-se de que o design do site seja moderno e alinhado com a marca corporativa, de modo que possa transmitir um sentimento de confiança à primeira vista.
  • Facilite a localização de informações do usuário.
  • Tente oferecer informações sempre atualizadas.
  • Seja irresistível. Seu site deve demonstrar ao usuário por que sua empresa é a certa para suas necessidades (só desta forma a partir de uma simples visita pode geralr Leads).
  • Propor conteúdo original, útil e interessante ao usuário alvo através do blog (Marketing de conteúdo).
  • Torne o processo de conversão de lead ou cliente mais imediato: não oculte  Call-to-Action e os formulários de contato.
  • Dê ao usuário uma ou mais razões para escolher você em vez de um de seus concorrentes.
  • Estude sua estratégia e implemente SEO e Inbound Marketing no seu site para aumentar as visitas e as conversões.
  • Analise o progresso do seu site e veja o que foi mais apreciado. Use esses resultados para reavaliar sua estratégia e mirar cada vez mais alto.
  • Verifique se seu site está visível em todos os dispositivos: computadores, tablets e smartphones. O usuário está acostumado a alterar frequentemente o meio de pesquisa com base na situação específica.

CONCLUINDO:

As vantagens da equipe comercial em carne e osso são, precisamente, a sua presença e o encontro físico e caloroso. Os contras são diferentes, variando de altos custos de gerenciamento a operações de marketing “tradicional”. O site, no entanto, está on-line vinte e quatro horas por dia e, portanto, está sempre disponível para o usuário.

Os contras da equipe comercial em carne e osso são altos custos de gerenciamento e operações de marketing “tradicional”

Nele o potencial cliente pode se informar, interagir com a plataforma, receber conselhos úteis através do Blog, tomar decisões, entrar em contato com a empresa, baixar e-books (tornando-se leads), solicitar entrevistas e agendamentos e assim por diante. A interrupção não é projetada e o usuário realmente gosta disso.

E seu WebSite, traz os resultados que você está esperando?

Solicite a análise gratuita de nossos especialistas em Inbound Marketing do seu website.

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


Copywriting SEO, a nova estratégia de conteúdo

Copywriting SEO, a nova estratégia de conteúdo

Copywriting Seo: está pronto para revolução?

A nova estratégia de conteúdo para escrever um bom SEO.

Em 2018 nós vimos participando de uma verdadeira revolução, a que a Hubspot chamou de Mobilegeddon Update, porque a evolução está ligada ao aumento de buscas por celular e buscas vocais.

Seo, uma evolução contínua.

A Google está mudando e as estratégias de conteúdo não serão mais as mesmas. Estamos enfrentando meses difíceis, trabalho árduo para tentar não perder as posições adquiridas em anos e anos de produção de conteúdo otimizado. Aqui está uma visão de tudo que você precisa saber para evitar a queda da SERP.

A pesquisa das pessoas está mudando e todos os mecanismos de pesquisa – o Google, em primeiro lugar – evoluíram.

Os relatórios mais recentes explicam que:

  • 64% das buscas totais têm 4 palavras ou mais, e a porcentagem continua a subir.
  • 20% das buscas são vocais (então elas vêm de dispositivos móveis) e, mesmo nesse caso, a porcentagem continua aumentando.

Até hoje, para aumentar o ranqueamento orgânico era suficiente que o blog, o site, a loja virtual fosse estruturado para construir posts em palavras-chave específicas. Agora, os mecanismos começaram a adivinhar o termo de pesquisa em seu significado e ilustram o conteúdo apropriado.

Por exemplo, se você pesquisar por um Hotel, o Google também mostrará os resultados de pousadas e casa para temporada, incluindo resultados que contenham sinônimos. O Google hoje entende exatamente o que uma pessoa digita e oferece os resultados que melhor respondem à solicitação.

O SEO está melhorando sua compreensão dos textos e blogs e o conteúdo também deve acompanhar essa evolução muito importante.

E sendo que o SEO evolui continuamente, temos que adaptar nosso conteúdo … para continuar a ser encontrados on-line!

Copywriting SEO, a nova estratégia de conteúdo

Pilar Page:

Uma Pilar page é a base a partir da qual a arquitetura de conteúdo é construída. É uma página da web e deve ser feita para cada tópico identificado na sua estratégia.

O Pilar abrange todos os aspectos de um determinado tópico em uma única página, com relatório mais extensa e detalhada para o espaço que eles enviam para o post com links relacionados à página pilar.

Agora, a maneira de ganhar posições com nosso conteúdo é seguir o modelo de tópico de cluster.

Modelo de tópico de cluster

Ele consiste em focar o seu tema principal, criar subcategorias e amarrar o conteúdo com palavras-chave que se conectam uns aos outros com links.

Por exemplo

Um tema da Intuitiva poderia ser “estratégia de SEO” para que os posts que falam sobre “como melhorar o posicionamento de uma loja virtual nos motores de busca?“, “exemplos de estratégias de SEO para o seu blog”, “escrever bem para vender mais” sejam conectados como subtemas “, Etc.

A postagem do blog se torna o conteúdo mais detalhado que responde a perguntas mais específicas do que o tópico central.

CUIDADO

O tópico e o subtópico devem necessariamente ser vinculados do ponto de vista do conteúdo.

Nós não podemos amarrar um post no blog sobre patrocínios do Facebook para uma página de pilar em direitos autorais.

Podemos, no entanto, amarrar um post no Facebook, e um post sobre direitos autorais se o tópico é “Inbound Marketing.”

Como se adaptar à nova escrita SEO passo a passo.

Escolha o tópico ou faça uma lista de tópicos principais.

O primeiro passo é focar no tópico e não na palavra-chave. Como tópicos, precisamos encontrar argumentos bastante amplos para os quais queremos nos posicionar como referência: para o Inbound Marketing como tópico central, pode-se “aumentar o tráfego para o site” ou “como melhorar a geração de leads“.

Projetar e escrever.

Se você já tem um blog, já tem acesso ao conteúdo que foi otimizado para ser adaptado e atualizado. nossa sugestão é continuar assim:

  • Definir tópicos.
  • Faça um inventário dos conteúdos (mesmo imprimindo todos, usando um grande quadro ou criar um mapa com post-it) e criar clusters.
  • Desenvolva uma página de pilar para cada tópico para dar uma visão completa sobre o tópico, mas não tão exaustiva (para todos os detalhes, se referindo ao subtópico – post do blog).

As palavras-chave estão mortas?

Depois de anos de copywriters SEO como ferreiros martelando sobre a necessidade de usar a palavra-chave, agora acaba por não precisar mais de nenhuma?

Elas estão vivas!.Elas ainda servem!. Só que precisamos de muito mais do que isso!.

A escolha da palavra-chave “o jeito antigo”, ou seja, considerando aquelas de maior volume, deve ser mantida principalmente nos títulos e legendas do conteúdo tomando cuidado, no texto, para inserir sinônimos diferentes para ser entendido pelo Google (que usa sinônimo cloud).

E seu WebSite, está pronto para revolução SEO?

Solicite a análise gratuita de nossos especialistas em otimização para buscadores do seu website.

Nosso time de especialistas em SEO está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


O que é um Lead?.

O que é um Lead?.

O que é um lead?.

Entenda melhor o que é um lead.

Vamos começar com uma questão fundamental em marketing: o que é um lead? o lead é um indivíduo que demonstrou interesse em um produto ou serviço de sua empresa: ele fez o download do conteúdo do seu site, ligou para você para obter mais informações, enviou um e-mail, etc.

Do ponto de vista da metodologia inbound, um lead se torna tal através de um processo de conversão. a partir do papel de um visitante, ele faz uma transição que aumenta as chances de se tornar um comprador em potencial. portanto, sem essas figuras, não seria possível encontrar novos clientes.

Submit

Por que leads são tão importantes?

Qualquer pessoa que se qualifique como lead de sua empresa, avaliou que o que é oferecido é válido, de modo a iniciar espontaneamente uma comunicação com você.

Isso implica que o indivíduo está disposto a receber mensagens de sua empresa, às quais ele já demonstrou algum interesse. Aproveite esta oportunidade para lhe enviar outros materiais úteis, comunicações do setor ou ofertas dedicadas: ao fazê-lo, você construirá uma relação de confiança com ele.

Como você atrai leads?

O processo de geração de leads ocorre da seguinte forma: o visitante acessa seu website, blog ou página social, interessado em seu conteúdo premium, clica no CTA, acessa a página de destino e decide preencher o formulário. Vamos analisar cuidadosamente os elementos que compõem essas fases:

tipo de ofertas leads

1) Oferta para download

É essencial que o material represente um incentivo efetivo para que o visitante deixe seus dados. Se você não oferecer algo útil, o CTA nunca será clicado e o usuário não compartilhará seu contato. A escolha da oferta deve estar relacionada ao estágio da buyer’s journey (jornada de compra) em que o indivíduo está localizado.

2) Call-To-Action

É um botão inserido dentro de um artigo ou em uma página do site que permite que futuros leads obtenham um conteúdo para download ou uma oferta entre os listados acima. Essa ferramenta redireciona o usuário para uma página de destino para permitir o registro do contato e iniciar o download do material ofertado. Por esta razão, deve ser claro, visível e estimulante.

3) página de destino (Landing Page)

Depois de clicar no CTA, você chegará a uma Landing Page (página de destino na tradução em Português). Esta página é caracterizada por textos e modelos essenciais que mostram claramente os benefícios que podem ser obtidos ao baixar o conteúdo premium (em troca do compartilhamento de informações pessoais), para evitar que o usuário se distraia e saia da página. É essencial que a página de destino não contenha links (o que poderia levar o usuário a navegar mais). Seu principal elemento é, sem dúvida, um formulário.

4) Formulário de contato

O formulário em uma página de destino é a ferramenta que permite coletar dados do visitante e iniciar sua transformação em leads.

É difícil estabelecer exatamente o que é necessário perguntar no formulário, certamente o endereço de e-mail, o nome e o sobrenome são dados fundamentais para considerar o contato como um lead. Solicitar um grande número de informações ou dados considerados muito pessoais pode levar o visitante a não preencher o formulário, o que resultará na perda de um novo cliente em potencial. Em geral, a regra é que o tamanho do formulário e o valor da oferta sejam equacionados: para um e-book será suficiente fornecer as informações essenciais, para solicitar uma consulta gratuita, será necessário solicitar mais dados.

Uma vez que a conversão tenha sido feita, o lead deve ser acompanhado por um contato simples para a decisão de compra final, por exemplo, por meio de estratégias de comunicação, como e-mail marketing.

Nutrição de Leads

As campanhas de marketing por e-mail são apenas uma das ferramentas normalmente usadas na fase de Nutrição de Leads. De fato, uma vez adquirida a informação sobre um lead, é necessário cultivar o relacionamento com ele para ganhar sua confiança: não se trata apenas de comunicar notícias da empresa e do setor, mas também oferecer conteúdo que tenha valor para o leitor, como artigos, informações, tutoriais em vídeo, ofertas personalizadas, etc.

Fazer a Nutrição de Leads significa estudar uma estratégia baseada no potencial cliente, de modo a surpreendê-lo, oferecendo-lhe exatamente o que ele precisava. Para isso, o uso de automação de marketing é inevitável: Permitindo que você tenha todas as informações sobre os leads, incluindo as interações que ele teve com sua empresa, as páginas do site visualizadas, os e-mails que ele clicou e muito mais. A automação também divide os leads em listas diferentes com base nas interações acima e também em outros parâmetros, para que você possa enviar e-mails automáticos do conteúdo perfeitamente alinhados com as ações do lead.

O que é um Lead?.

MQL e SQL: o que são e como distingui-los

Agora você sabe como gerar um Leads e como a nutrição de leads acontece, vamos introduzir uma outra definição:

Lead qualificado em marketing (MQL): o visitante de um site que demonstra um alto nível de envolvimento e é altamente provável que se torne um cliente. Um lead desse tipo mostra interesse no conteúdo de um site: fez o download de ofertas, assinou o boletim informativo ou adicionou um produto ao carrinho de comércio eletrônico.

Lead qualificado em vendas (SQL): uma pessoa que demonstrou interesse imediato nos produtos ou serviços de uma empresa. Ao contrário do MQL, esses indivíduos não precisam de uma estratégia promocional tão intensa para serem transformados em clientes, pois têm maior probabilidade de realizar a compra.

A diferença entre esses tipos de leads se manifesta especialmente no que diz respeito à divisão de responsabilidades dentro da empresa para sua transformação em clientes: conforme deduzido do nome, o MQL é de responsabilidade da equipe de marketing, enquanto o SQL da equipe de vendas.

Quanto vale uma Lead?

Para identificar o estágio de um lead na buyer’s journey (jornada de compra), é necessário configurar um sistema de pontuação de lead: o contato recebe uma pontuação mais alta se for um cliente em potencial mais válido e mais próximo da compra. Cada empresa pode estabelecer os parâmetros pelos quais pontua o cliente e o qual limite de pontuação a ser atingindo pelo cliente em potencial para que ele seja contatado pela equipe de vendas.

A maior vantagem da pontuação de leads? É que depois de definida, a pontuação é atribuída automaticamente e você não precisa seguir todas as ações do lead manualmente para descobrir quando ele está pronto para realizar a compra: uma notificação será sinalizada quando chegar este momento!

Agora você conhece todos os fundamentos!

Começamos desde o nascimento de um lead até chegar a sua transformação em um cliente: agora o processo está completo. No processo de aquisição, geração e nutrição de leads, a escolha de uma agência de marketing digital é fundamental para qualquer empresa.

Entenda qual é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


growth-driven design

O que é o growth-driven design?

O que é o Growth Driven Design?

A expressão Growth Driven Design entrou agora na linguagem comum. Mas o que exatamente significa este novo termo?

Redesign” ou redesenho de um site, atividade que muitas vezes causam frustrações e ansiedade nas mentes dos empreendedores. Isso ocorre porque essas “palavras” geralmente indicam meses de trabalho em termos de reformulação, planejamento, análise, testes e muito mais. Atividades que prejudicam o desempenho das tarefas diárias e implicam em um esforço para repensar hipóteses ou mudanças que podem melhorar os negócios de um site depois que ele foi lançado.

O ponto é este: toda a equipe da empresa não pode se dar ao luxo de pausar suas atividades para se dedicar ao redesenho do site.

Como podemos alcançar melhores resultados? O Growth Driven Design pode ser a solução que você está procurando.

Growth Driven Design (GDD): definição

O Growth Driven Design é capaz de minimizar os riscos relacionados ao design tradicional da web porque, graças a uma abordagem sistemática que reduz o tempo de desenvolvimento e colocação do site em produção, permitindo que você se concentre no impacto real, no aprendizado e na melhoria contínua.

O aprendizado e melhoria contínua são elementos fundamentais do GDD, pois é um processo iterativo e contínuo, ao contrário do web design tradicional, que tende a ser reduzido a um evento único e gigantesco. Na verdade, em vez de planejar toda a solução de uma só vez, o Growth Driven Design concentra-se em etapas evolucionárias e no alcance de metas de curto prazo. Abordagem certamente menos cara e arriscada.

Em vez de redesenhar um site a cada dois anos, com conteúdo desatualizado que se alinham com os objetivos de negócios, o GDD divide as fases do projeto em entregas evolutivas, com base em testes e otimizações derivadas da análise do comportamento do visitante no site. Essa solução também fornece uma perfeita integração entre marketing e vendas, a fim de atingir metas concretas e compartilhadas.

Desta forma, o GDD oferece um modelo mais flexível pelo qual as empresas podem mudar seus planos de ação com base nas condições e obstáculos que encontrarem.O modelo permite que o site evolua continuamente de acordo com o comportamento do público e resultados de atração, conversão e vendas, se tornando cada vez mais o principal vendedor da companhia, especialmente se aliado a outras estratégias, como o Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

growth-driven design

Growth Driven Design (GDD): como funciona

É possível dividir a GDD em duas macro-etapas: uma que inclui estratégia e lançamento no site (com duração de aproximada de 8 semanas) e uma subsequente que fornece desenvolvimento iterativo e melhoria contínua (que ocorre aproximadamente durante os onze meses seguintes).

Fase 1: Estratégia e lançamento do site

Como no web design tradicional, o processo de GDD começa com o planejamento estratégico e a identificação de objetivos precisos, a fim de ter uma compreensão clara do que estamos tentando alcançar e de quem é o público de referência.

Uma vez que as metas e objetivos foram definidos, é aconselhável iniciar uma análise quantitativa, analisando o site e seus dados, a fim de entender como os usuários chegam ao site e interagem com ele. Além de coletar um feedback importante do usuário, esta pesquisa trará quais os problemas críticos e pontos fracos, ajudando a avaliar quais oportunidades aproveitar para melhorar a experiência do usuário. Especificamente, contribuirá para esclarecer alguns pontos, tais como:

  1. Porque os usuários visitam o site.

  2. A proposta de valor que eles recebem.

  3. Como os usuários chegam ao site.

Em poucas palavras explicar por que certas ações são realizadas em um momento específico e da maneira em que incorporar esses insights sobre uma estratégia global destinada a melhorar.

Última etapa, realizar um brainstorming entre os diferentes membros da equipe, a partir do qual você recebe uma lista de desejos que contém os pontos-chave para melhorar o site. O processo de implementação dessa lista de desejos começa seguindo a regra 80/20, ou seja, desenvolvendo 20% das ações que geram 80% do impacto nos usuários.

Em seguida, a atenção está focada no processo de design das características padrão, tais como:

  1. Mensagens e Conteúdos
  2. Arquitetura de informação e experiência do usuário
  3. Wireframe
  4. Design e Skin
  5. Desenvolvimento web
  6. Teste

Terminado isso, é necessário coletar as informações para desenvolver o projeto qualitativamente e quantitativamente através do site. Especialmente em relação a:

  1. Identificação de um objetivo para cada fase.
  2. Cada suposição específica definida.
  3. Cada métrica deve ser medida para atender os pontos da lista de desejos.

Nesta etapa, é importante identificar quais aspectos e elementos do site têm maior impacto e planejar quais serão incluídos no processo de otimização. A avaliação pode basear-se nestes critérios:

Submit

Desempenho vs. objetivos: avaliar quanto o desempenho do site está alinhado com o alcance de objetivos específicos e, com base nessas considerações, identificar possíveis oportunidades de melhoria.

Pesquisa e coleta de dados: sempre com base no desempenho do website e comportamento dos usuários em relação ao site é adequado criar considerações em relação aos dados coletados e quaisquer pontos para adicionar à sua lista de desejos.

Alinhamento entre marketing e vendas, em vista do aumento das conversões, os dados e os pontos de vista das duas equipes são essenciais para melhorar o desempenho da conversão.

Melhoria da User eXperience: as melhorias feitas no site dão ao usuário uma experiência melhor e tornam a navegação mais imediata. Isso nos permite satisfazer pesquisas e atender às necessidades expressadas pelos usuários.

Fase 2: desenvolvimento iterativo e melhoria contínua

Uma vez liberada a primeira versão do site, é necessário iniciar a fase de otimização para melhorar e tornar o site lançado mais eficiente, com vistas no desempenho e na melhoria contínua. Para cada fase desse processo, é importante avaliar como qualquer alteração que será implementada pode ou não criar valor agregado para os usuários a que se destina.

As etapas de um ciclo de Growth Driven Design são:

  1. Planejamento
  2. Desenvolvimento
  3. Aprendizagem
  4. Transferência

Tudo orientado para melhoria contínua.

Planejamento

Nesta etapa, é importante identificar quais aspectos e elementos do site têm maior impacto e planejar quais serão incluídos no processo de otimização.

Depois que os elementos mais relevantes forem definidos, sua implementação deve ser iniciada. É importante prever as fases de teste para cada item que será inserido, a fim de avaliar o impacto sobre o desempenho. Para avaliar a tendência, também é aconselhável identificar métricas de medição.

Aprendizagem

Uma vez que as mudanças necessárias para a melhoria foram implementadas, é necessário definir um período de verificação e coletar dados de suporte para preparar uma análise em relação às informações coletadas pelos usuários e entender se as mudanças feitas tiveram o impacto esperado. Então, aprendendo diretamente com a experiência de campo.

Transferência

O último passo é transferir as informações coletadas em ciclos de desenvolvimento futuros. De fato, depois de analisar e interpretar os dados de cada etapa do processo, é importante avaliar se eles podem ser úteis para outras áreas de negócios.

Melhoria contínua

Ao optar por adotar uma abordagem de Growth Driven Design, você terá a oportunidade de trabalhar em seu website constantemente, a fim de responder às mudanças contínuas nas necessidades, tanto mercado quanto dos usuários.

Desta forma, será possível ter uma ferramenta constantemente otimizada com base nas informações coletadas pelos usuários e melhorar a experiência de uso e a taxa de conversão.

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


seo para loja virtual

SEO e loja virtual: como aumentar as vendas do seu site

Seo e loja virtual: como aumentar as vendas do seu site.

Para aumentar o volume de negócios, os produtos na sua loja virtual devem estar bem posicionados nos mecanismos de pesquisa: aqui estão algumas dicas que vão te ajudar nessa tarefa.

Optar por abrir uma Loja Virtual é uma escolha importante para qualquer empresa: no futuro imediato, é um investimento que impacta no balanço patrimonial da empresa, mas uma vez iniciado e devidamente promovido pode levar a um importante aumento de volume de negócios.

O sucesso de um e-commerce é baseado em vários fatores: a usabilidade do site, a quantidade de produtos, preços competitivos, website responsivo (que se adapta automaticamente à tela do dispositivo que estamos usando), remessas rápidas e atendimento sempre ativo . Por último, mas não menos importante, o SEO, que significa Search Engine Optimization, que são estratégias e técnicas usadas para fazer o conteúdo do site aparecer nas primeiras posições nos motores de busca. Para uma Loja Virtual o SEO é muito importante: os usuários quando têm que fazer uma pesquisa de compra para o produto usam motores de busca e, na maioria dos casos, compram das lojas que estiverem nas primeiras posições nos resultados da pesquisa.

seo para loja virtual

Estratégia de SEO para lojas virtuais

Para realizar uma boa estratégia de SEO para lojas virtuais, você precisa seguir algumas regras que permitem otimizar o site e obter resultados no menor espaço de tempo possível. Por exemplo, você não pode ignorar e deixar de escrever uma boa descrição para o produto, essa descrição tem que responder a todas às dúvidas do cliente. Usar as palavras corretas (palavras-chave) pode fazer a diferença entre estar na primeira ou sexta posição nos resultados do mecanismo de busca. Aqui estão algumas dicas  para otimizar seu comércio eletrônico e aumentar suas vendas.

Use um tema responsivo

Um dos fatores que os mecanismos de pesquisa levam em consideração ao posicionar um site é o tipo de tema usado. Com o uso crescente de smartphones e tablets, é muito importante que o usuário possa usar o site mesmo navegando de um celular. Por esse motivo, o uso de temas responsivos, que se adaptam automaticamente à tela do dispositivo que você está usando, tornou-se essencial para quem vende on-line.

Use as palavras-chave certas

Como mencionado anteriormente, usar as palavras corretas nas descrições dos produtos faz a diferença no posicionamento do seu comércio eletrônico. Quando um novo produto for inserido, é necessário procurar as palavras-chave vinculadas a ele e escolher as mais populares de forma a aumentar a probabilidade de aparecer nos resultados associados a essas pesquisas. É um trabalho demorado, mas se bem feito, garante um grande retorno econômico. Para facilitar a pesquisa das palavras-chave para seus produtos, você pode utilizar algumas ferramentas gratuitas: como o Planejador de palavras-chave do Google, (Google Keywords Planner) a Answer The Public e Keyword Tool que estão entre as mais usadas.

As palavras-chave devem estar presentes não apenas no título e na descrição que acompanham o produto para venda, mas também na meta descrição (o breve resumo que aparece sob o título de uma página na lista de resultados do Google), no nome da foto. e no URL do site.

Submit

O conteúdo é o rei

Cansou de ouvir isso eh?. Para colocar um e-commerce entre os primeiros resultados nos mecanismos de busca, o conteúdo é muito importante, especialmente as descrições dos produtos. Não tendo um contato direto com o usuário, a descrição do produto é o modo como a empresa “fala” com o possível cliente. Mas se a descrição do produto estiver incompleta ou completamente ausente, o usuário sairá do site e passará para outro e-commerce. Por esse motivo, os detalhes do produto não podem deixar de ter prazos de entrega, métodos de pagamento, parcelamento, disponibilidade, termos de garantia, uma foto do item, uma descrição personalizada (mecanismos de busca penalizam descrições duplicadas) e qualquer outra informação que pode convencer o usuário a comprar. Verifique também se as informações estão sempre atualizadas.

Outro fator que ajuda a aumentar as vendas são as opiniões positivas dos usuários, que atestam a excelência dos produtos vendidos e a confiabilidade da empresa.

Analise os concorrentes

Para entender como melhorar sua loja Virtual sob o ponto de vista do SEO, é necessário analisar o que seus concorrentes fazem. Se para as palavras-chave que nos interessam estarmos sempre posicionados atrás do site de e-commerce do concorrente, teremos que estudar a estratégia de SEO do mesmo e entender o que é melhor para utilizar em nossa estratégia de SEO. Para realizar a análise dos concorrentes, você pode utilizar uma das muitas ferramentas de SEO disponíveis no mercado (Semrush, Moz etc)

Velocidade do site

Outro fator importante para o posicionamento que é levado em consideração pelos motores de busca é a velocidade do site. Quando um usuário faz login em um e-commerce, ele espera que o site seja carregado em alguns segundos, caso contrário, ele sairá da loja digital e tentará fazer a compra em um concorrente. A velocidade de carregamento de páginas também é um dos fatores que afetam a classificação nos mecanismos de pesquisa.

Você gostou do artigo? preparamos um guia mais detalhado sobre como melhorar o posicionamento de uma loja virtual nos motores de busca

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


agência full service

Vantagem de uma agência Full service.

Vantagens de uma agência full service.

Agência full service: o que é este modelo de agência?, Quais são as vantagens?

Frequentemente vemos no mercado empresas que contratam diversas agências para que cada uma delas cuide de uma parte de sua comunicação. Um fornecedor para as mídias impressas, outro para Campanhas Google, um terceiro para desenvolver, atualizar o site, para o SEO, outro para fazer Marketing nas Redes Sociais e assim por diante.

Tudo isso gera um conjunto de parceiros que além de ser oneroso, traz diversas dificuldades de gerenciamento e manutenção de uniformidade nos serviços.

Para dispor de soluções completas de marketing, muitas empresas estão buscando os serviços de uma agência full-service. Elas reúnem em um só lugar diversos serviços relacionados ao marketing digital, dispensando a contratação de diferentes empresas para demandas específicas.

Com a profusão de serviços de divulgação online, nasceu a necessidade de existir agências que pudessem centralizar as contas das empresas.agência

agência full service: definição

Uma agência de comunicação é chamada de full service quando apresenta aos seus clientes esse conjunto completo de soluções, sendo capaz de desenvolver trabalhos em todas as áreas críticas de exposição de uma marca, produto ou serviço para o seu mercado.

Submit

Uma empresa que se preocupa com todas as vertentes de seu diálogo com o seu público-alvo necessita de uma agência que tenha em mãos um conjunto completo e aprofundado de diversas ferramentas e saiba lançar mão delas no momento certo, de acordo com uma estratégia pré-definida e com seus elementos em perfeita harmonia.

Uma agência full service tem uma visão ampla de todas as possibilidades, com suas especificidades e aprofundamentos, bem como sabe utilizar cada estrutura desenvolvida no momento certo, em sincronia entre si e de forma condizente com uma estratégia sólida, bem articulada, com custos definidos e resultados mensuráveis em sua completude.

Centralizando sua carteira de ações, a empresa contratante tem uma capacidade de maior de negociação de valores, confiabilidade de serviços coadunados entre si e sob a mesma diretriz, tem uma resolução de problemas mais rapidamente, além de contar com um monitoramento de todo seu pool de atividades de comunicação, otimizando seus resultados através de um sistema de retroalimentação de informações estratégicas oriundas de diversos canais de atuação.

Ajudar as empresas a dialogar com os seus mercados com todos os instrumentos disponíveis e adequados é função das agências full service e por isso a importância de contratar uma para cuidar de sua comunicação, afinal ninguém quer desafinar na hora de expor sua marca e de investir seu tempo e dinheiro.

agência full service

principais vantagens de uma agência Full Service:

Integração das informações e das campanhas

A sua principal vantagem é a economia (de tempo e de dinheiro) que ela gera para os clientes, além da certeza de que todas as estratégias de comunicação para a marca serão trabalhadas de forma sintonizada.

Quando uma empresa não conta com um serviço completo, pode acabar tendo de lidar com várias agências especializadas em áreas distintas. Assim, muitas vezes, pode se tornar um desafio criar estratégias que sejam convergentes e a marca corre o risco de perder um pouco a identidade.

Uma agência Full Service pode oferecer preços mais interessantes, devido ao alto volume de serviço ou aos contratos mais longos.

Além disso, toda essa informação pulverizada pode consumir mais tempo e dinheiro. e todas as campanhas ficam “sob o mesmo teto”, facilitando o gerenciamento das estratégias e os resultados, reduzindo o tempo gasto e muitas vezes economizando, já que uma agência Full Service pode oferecer preços mais interessantes, devido ao alto volume de serviço ou aos contratos mais longos.

Visão estratégica das marcas

Outra vantagem importante para os clientes é a possibilidade de ter à sua disposição especialistas que contam com uma visão mais estratégica da marca trabalhada. Com uma equipe multidisciplinar e que conhece a empresa agenciada, há maiores chances de novos insights, que realmente fazem diferença, surgirem.

Isso significa que, de forma mais sincronizada, especialistas de áreas distintas (como o profissional de Inbound Marketing ou de Marketing de conteúdo e o responsável pelos anúncios offline, por exemplo) podem criar campanhas que se complementem e que tragam resultados globais no que diz respeito à penetração da marca, ou ainda, a campanhas específicas.

O resultado é uma marca mais sólida e bem estruturada para os clientes, com maior satisfação e aumento do nível de fidelização para os donos das agências.

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


Marketing nas redes sociais

Marketing nas redes sociais e divulgação em mídias sociais

Marketing nas redes sociais e a divulgação em mídias sociais

Como utilizar de forma correta o marketing nas redes sociais

Nos últimos tempos o marketing nas redes sociais (tradução de social media marketing) tem sido um dos segmentos que mais cresce em todo o mundo. Esse é um caminho sem volta em termos de tendência de marketing online e as empresas precisam se adaptar a esse novo cenário.

A predominância da internet e sua influência em nossas vidas é gigante, principalmente com o Marketing Digital e a transformação digital tão presentes. Atualmente mais de 3,8 bilhões de pessoas em todo o mundo estão conectadas ao mundo virtual.

Agora que você já sabe a vastidão de pessoas usuárias da internet, pergunte-se: qual a sua maior razão para estar online?

Cada pessoa dará uma resposta, mas é bem provável que a maioria responda as redes sociais..

Marketing nas redes sociais

Como funciona o marketing nas redes sociais

O marketing nas redes sociais é a estratégia pela qual nos valemos das principais redes sociais como ferramentas de promoção de uma marca, divulgação de produtos ou serviços.

Certamente podemos utilizar este canal para diversas outras ações, como a criação de um canal de atendimento ao cliente, por exemplo, mas no caso do social media marketing, o objetivo principal é justamente o de promoção de produtos e serviços.

Nas campanhas de marketing em redes sociais, os profissionais de marketing digital fazem uso das ferramentas oferecidas pelas redes como Facebook, Instagram, Twitter, Google+ e outras, dependendo do caso e segmento de atuação da empresa.

Classificamos o marketing nas redes sociais na categoria de marketing de display, que funciona de forma bem diferente de outros canais como marketing de busca, por exemplo. Por isso é necessário que as empresas se adaptem a essas diferenças conceituais para não caírem na armadilha de transformarem seus perfis em simples murais de promoções, sem interatividade e mensagem dirigida.

Uma outra característica do social media marketing é trabalhar também como marketing de relacionamento, onde o objetivo principal é criar, em primeiro lugar, um ponto de contato com seus clientes em potencial (Leads), para só depois introduzir, de forma muito sutil, a mensagem publicitária.

Submit

Vale a pena investir em marketing nas mídias sociais?

Sem sombra de dúvida o investimento em marketing nas redes sociais traz retorno, mas não pode ser considerado uma panaceia universal como muitas empresas têm encarado essa nova opção no Brasil. Este é apenas mais um canal de divulgação a ser utilizado e por isso deve ser devidamente avaliado e contextualizado no panorama geral da estratégia de marketing digital das empresas.

marketing nas mídias sociais é apenas mais um canal de divulgação a ser utilizado e por isso deve ser devidamente avaliado e contextualizado.

Uma estratégia de médio a longo prazo

Um ponto que devemos salientar é que uma estratégia de marketing nas redes sociais exige um prazo de maturação, e por isso é considerada uma ação de médio e longo prazo, já que relacionamentos não são criados da noite para o dia.

Por isso, é necessária uma Agência de marketing digital que Faça um planejamento detalhado da estratégia a ser adotada,

Entre outros aspectos que devemos levar em consideração é também a capacidade de fidelização proporcionada por esta estratégia, já que estes contatos criam laços de relacionamento que fazem do retorno do marketing em redes sociais um dos que mais se destaca em uma estratégia de marketing digital.

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit