segredos-do-marketing-de-vídeo-perfeito

Os 5 segredos do marketing de vídeo perfeito.

5 segredos do marketing de vídeo perfeito.

O vídeo é uma ferramenta muito poderosa em sua estratégia de marketing e traz resultados reais, se você puder usá-lo ao máximo. Há muitas coisas, no entanto, que você precisa cuidar quando tenta criar um, e nem sempre isso pode ser fácil, por causa das inúmeras variáveis que podem atrapalhar seu sucesso.

Algumas medidas simples, no entanto, melhorarão o tráfego, tornando seu conteúdo mais eficaz. Abaixo, encontre os 5 segredos que você deve aplicar imediatamente às suas criações para começar a ter um conteúdo efetivo para sua empresa.

Concentre-se na história, não na venda.

Como sempre falamos, vender não é o objetivo do marketing de conteúdo. O que fazemos com marketing de conteúdo é atrair, educar e propor soluções através de conteúdos úteis e interessantes.

O segredo para não mencionar a venda e fornecer conteúdo útil é se concentrar em contar uma história. Libere sua criatividade e conte algo, confiando no poder emocional do vídeo e nas necessidades e desejos do seu público.

Torne-se interessante. Chega de ser tão chato! 

Quem que seja o seu Buyer Persona, falar puramente como um vendedor, aborreceria qualquer. Ofereça entretenimento: aqueles que assistem a vídeos querem ficar animados, querem se sentir fora da realidade. Como dissemos acima, você não precisa fazer um filme de Oscar, mas um conteúdo leve, dinâmico e fresco!.

Acha que não pode fazer esse tipo de conteúdo, porque com seu visitante em potencial deve ser sério e estar preparado? O HubSpot, o software de Inbound marketing mais popular, opera exclusivamente em B2B, mas mesmo assim cria vídeos que entretêm e que não são pesados e entediantes. Em várias vezes, aproveitou a oportunidade para ser engraçado, ainda conseguindo comunicar sua mensagem.

Segue abaixo um vídeo de como a HubSpot parabeniza quem evita ligações do departamento de vendas, se diverte e talvez convença o destinatário a ficar em contato com a empresa.

Faça os primeiros 10 segundos o melhor sempre.

Nos primeiros 10 segundos, 4 de cada 5 visitantes deixarão o vídeo: é um fato. Esses 10 segundos são cruciais, então você tem que convencer seus visitantes a ficarem atentos.

Aviso: isso não significa que seus vídeos devem ser de 10 segundos ou menos! Na verdade, como está escrito no post, o que você está perdendo no marketing de vídeo, os conteúdos que geram mais engajamento são muito mais longos!

Crie um início de impacto que desperte sua curiosidade e force o visitante a continuar assistindo para ver o que acontece em seguida. Você não precisa criar um começo vencedor do Oscar: até mesmo uma prévia simples do que você vai falar é suficiente para gerar interesse.

Otimizar para pesquisa. Vá para o SEO!

SEO não existe apenas para posts, SEO deve ser adotado sempre que o conteúdo pode ser pesquisado nos motores de busca. E isso também se aplica aos vídeos! Não é suficiente, de fato, incorporá-lo em seu site ou enviá-lo para o YouTube para receber visitas, mas você precisa aproveitar todos os elementos de otimização disponíveis.

No artigo de otimização de vídeo em 8 etapas, explicamos todas as otimizações que você pode adotar no YouTube, pois seus vídeos são visíveis nos mecanismos de pesquisa. Se eles forem devidamente otimizados, uma vez incorporados nas páginas do seu site, eles os ajudarão a se posicionarem na SERP.

Eduque seu público.

Você sabe que na maioria das pessoas a memória visual é a mais desenvolvida? Isso significa que eles armazenam informações mais rapidamente por meio de imagens ou, pelo menos, de um estímulo visual. Use isso para sua vantagem e eduque seus visitantes.

Por exemplo, você pode instruí-los sobre como usar seu produto, fornecendo pequenas dicas sobre como usá-lo ao máximo e como obter o máximo dele com insights e curiosidades.

Mas não apenas isso: até mesmo através das avaliações de seus clientes, como eles encontraram sua empresa e como eles os ajudaram a atingir determinadas metas ou alcançar o sucesso, é uma ótima maneira de educar seus clientes em potencial.

Concluindo

Aqui, então, 5 dicas eficazes que você pode aplicar imediatamente à sua programação de vídeo. Se você deseja realmente aumentar suas visitas ao seu site por meio de vídeo, esse é o melhor momento: 

E seus vídeos, tem um bom SEO?.

Tem problemas com a otimização SEO do seus vídeo e  não consegue resolver?

Marque uma consultoria gratuita e sem compromisso com um nosso especialista SEO certificado Seocertification.org

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


youtube seo

YouTube SEO: otimização de vídeo em 8 etapas.

YouTube SEO: otimização de vídeo em 8 etapas.

Como você sabe, os vídeos são muito eficazes em uma estratégia de marketing, mas como os posts do blog se eles não são otimizados para SEO, há o risco de não atingir o potencial visitante e, assim, frustrar o uso do tempo e recursos que você investiu no conteúdo.

Se você deseja tornar um vídeo postado no YouTube eficaz com uma otimização de vídeo SEO invencível, fique à vontade e deixe-se guiar em oito etapas simples (mas fundamentais) a serem seguidas cuidadosamente para tornar seu conteúdo mais visível e, consequentemente, aumentar o crescimento de seu canal e da sua marca.

youtube seo

1) Título

Quando você está procurando por um vídeo, uma das coisas mais importantes, é o título,ele é decisivo na escolha de um usuário se deseja ou não visualizar o conteúdo.

O título, portanto, não deve ser apenas irresistível, mas também curto e conciso tanto para o imediatismo na leitura quanto para evitar que ele seja truncado nos resultados: 60 caracteres é o limite máximo que você deve impor.

Além disso, se o seu título corresponder a uma palavra-chave de busca, você terá uma vantagem significativa sobre os outros para obter os primeiros resultados. Mas tenha cuidado para não encher o título de palavras-chave: além de não ganhar nenhuma vantagem sobre os outros, você pode até ser penalizado.

Da mesma forma, evite títulos de isca de clique, que não têm nada a ver com conteúdo: além da probabilidade de ser penalizado, você pode atrair usuários que deixam seu vídeo depois de clicar nele porque não era o que procuravam.

2) miniaturas

A miniatura é, no mínimo, essencial: é o cartão de visita, a primeira coisa que o usuário vê antes mesmo do vídeo. E, com razão, também é dado muito espaço.

O mesmo YouTube diz que 90% dos vídeos de sucesso na plataforma, tem uma miniatura (ou Thumbnail) personalizada.

Por que seu público seja incentivado a clicar em seu vídeo, não se contente com a pré-visualização que o YouTube oferece ao carregar: abra um programa de edição de fotos, defina a resolução para no mínimo 1280×720 (pode ser ainda maior, mas o importante é manter o vídeo Proporção 16: 9) e construa uma miniatura fenomenal! Lembre-se, no entanto, de não exceder 2 MB e exportar a imagem para .jpg, .gif, .bmp ou .png.

3) Descrição

O Google oferece 1.000 caracteres para adicionar uma descrição ao seu vídeo, mas lembre-se de que, sob seu vídeo, aparecerão apenas 2 a 3 linhas (cerca de 100 caracteres) com um botão “mostrar mais”. Então, se você tiver que adicionar links, CTA ou qualquer outra coisa, faça isso no início, porque a maioria das pessoas que assistirá a seu vídeo não clicará em “mostrar mais” para descobrir o que você escreveu.

Então, conte sobre o que é seu vídeo e adicione algumas palavras-chave. Cuidado para não encher a descrição com palavras-chave! Na verdade, isso não melhorará sua classificação nas pesquisas, mas inserindo palavras-chave de cauda média / longa (relevante) você terá mais possibilidades de ser sugerido na barra lateral ao lado de vídeos com palavras-chave semelhantes.

4) Tag

As tags são a ferramenta com a qual você se comunica diretamente com o software do YouTube: na verdade, com as tags, a plataforma é capaz de interpretar o conteúdo e o contexto.

Isso se traduz em uma oportunidade para você, ter associado seu vídeo a outros vídeos semelhantes e, portanto, aparecer em suas sugestões. Escolha tags com muito cuidado, porque se você inserir tags irrelevantes para atrair visualizações, o Google pode bloquear o vídeo!

Preencha as palavras-chave (relevantes): a palavra-chave única e a palavra-chave de cauda longa compatíveis.

5) Categoria

Depois que o vídeo for carregado, nas configurações avançadas, escolha a categoria na qual seu vídeo será inserido.

Se você achar difícil encontrar a categoria apropriada, tente se perguntar:

  • De qual categoria meu público pode ver vídeos?
  • Em qual categoria os criadores que publicam conteúdo semelhante ao meu pertencem?
  • Em qual categoria eu encontro vídeos semelhantes por formato, tamanho, estilo e produção?

Faça uma pequena pesquisa para encontrar as respostas e lembre-se que na descrição de cada vídeo, ao clicar em “mostrar mais”, você encontrará a categoria à qual o vídeo pertence.

6) Legendas

O YouTube permite que você insira legendas fazendo o upload de um arquivo SRT ou transcrevendo-as manualmente. Então, uma vez carregado, basta fazer uma auto sincronização e publicá-los.

Uma maneira muito mais simples e rápida de inserir legendas é explorar a transcrição automática: nas configurações de vídeo, na seção de legendas, deve haver uma entrada com as palavras “Italiano (automático)”, clique aqui e depois em “cancelar publicação”. Desta forma, podemos corrigir eventuais erros e, uma vez terminado, podemos salvar.

7) Cartões

 Alguma vez você já se perguntou qual era o “i” no canto superior direito do vídeo no qual um texto é exibido? Bem, isso indica os cartões. Os cartões são notificações que aparecem durante o vídeo, em um horário pré-estabelecido, usadas para promover sua marca, canal ou vídeo.

Podemos adicionar até 5 cartões para cada vídeo e você pode usá-los para:

  • Recomendar outro canal
  • Convidar para fazer uma doação para organizações sem fins lucrativos
  • Convide-se para apoiar o canal com doações de fãs
  • Endereço para um site externo verificado, uma plataforma de crowdfunding ou merchandising
  • Votar nas pesquisas
  • Sugira vídeos ou playlists do YouTube

8) telas finais

As telas finais são links que aparecem apenas nos últimos 20 segundos de um vídeo e são ótimos para adicionar CTAs e manter seu público em seus canais.

Você pode encontrá-los na seção “telas finais e anotações” e eles podem:

  • Conecte-se ao seu site
  • Sugira um vídeo ou uma playlist
  • Inscreva-se no seu canal
  • Promova outro canal

Para adicionar as telas finais, você pode escolher modelos ou importar vídeos antigos e clicá-los tanto em computadores quanto em dispositivos móveis.

Então, você está pronto para aplicar essas dicas ao seu canal e aumentar sua marca? Você verá que aplicando estas etapas, combinadas com uma publicação constante, você terá um excelente posicionamento graças à otimização de vídeo SEO!.

E seus vídeos, tem um bom SEO?.

Tem problemas com a otimização SEO do seus vídeo e  não consegue resolver?

Marque uma consultoria gratuita e sem compromisso com um nosso especialista SEO certificado Seocertification.org

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


conteudo seo-duplicado

7 Tipos de conteúdo duplicado, e como ficar seguro com cada um

7 Tipos de conteúdo duplicado, e como ficar seguro com cada um.

Conteúdo duplicado é um assunto muito importante no mundo SEO. Quando ouvimos sobre isso, é principalmente no contexto das penalidades do Google que pensamos; mas esse efeito colateral potencial de duplicação de conteúdo não é apenas ampliado em importância (o Google quase nunca penaliza sites por conteúdo duplicado em si), mas também é a consequência mais grave do problema. Os 3 problemas de SEO muito mais prováveis que podem ser causados por conteúdo duplicado são os seguintes:

Google quase nunca penaliza sites por conteúdo duplicado, penalidades são direta consequência do conteúdo duplicado.

Orçamento de crawl budget (rastreamento desperdiçado).

Se a duplicação de conteúdo aparecer internamente em seu site, é garantido que você envie algum do seu  “crawl budget” (também conhecido como o número de mecanismos de pesquisa de páginas rastreados por unidade de tempo) para o lixo. Isso significa que as páginas importantes do seu site serão rastreadas com menos frequência.

Diluição de Link juice.

Para duplicação de conteúdo externo e interno, a diluição de link Juice é uma das maiores desvantagens do SEO. Com o tempo, os dois URLs podem criar backlinks apontando para eles, e, a menos que um deles tenha um link canônico (ou um redirecionado 301) apontando para a peça original, os links valiosos que ajudariam a classificação original da página serão distribuídos entre os dois URLs.

Apenas uma das páginas classificadas por palavras-chave alvo.

Quando a Google encontra instâncias de conteúdo duplicado, normalmente mostra apenas um deles em resposta a consultas de pesquisa – e não há garantia de que a página será a que você deseja classificar.

Mas todos esses cenários são evitáveis se você souber onde o conteúdo duplicado pode se esconder, como detectá-lo e como lidar com ele. Neste artigo, vamos descrever os 7 tipos de duplicação de conteúdo – e como lidar com cada um deles.

conteudo seo-duplicado

1. Conteúdo copiado

O conteúdo copiado é basicamente um conteúdo não original em um site que foi copiado de outro site sem permissão. Como eu disse anteriormente, o Google pode nem sempre ser capaz de distinguir entre o original e a cópia, por isso, muitas vezes, a tarefa do proprietário do site é ficar atento aos raspadores e saber o que fazer se o conteúdo deles for roubado.

Infelizmente, isso nem sempre é fácil ou direto. Mas aqui está um pequeno truque que eu pessoalmente uso.

Se você acompanhar como seu conteúdo é compartilhado e vinculado on-line (e se você tiver um blog, você realmente deveria) por meio de um aplicativo de monitoramento de mídia social / como o Awario, você pode acertar dois coelhos com uma cajadada só. Na sua ferramenta de monitoramento, você normalmente usa o URL e o título da postagem como palavras-chave no seu alerta. Para pesquisar também por versões copiadas do seu conteúdo, tudo o que você precisa fazer é adicionar outra palavra-chave – um extrato da sua postagem. Idealmente, deve ser bem longo, por exemplo, uma frase ou duas. Cercar a peça com aspas duplas para ter certeza de que você está procurando uma correspondência exata.

Com essa configuração, o Awario procurará as duas menções ao artigo original (como compartilhamentos, links e outras) e as versões copiadas do conteúdo encontrado em outros sites.

Se você encontrar cópias do seu conteúdo, é recomendável entrar em contato com o webmaster solicitando que ele remova a peça (ou coloque um link canônico no original, caso seja no seu site).

2. Conteúdo Compartilhado

Conteúdo compartilhado é conteúdo republicado em um site diferente com a permissão do autor da peça original. Embora seja uma maneira legítima de colocar seu conteúdo na frente de um novo público, é importante definir diretrizes para os editores com os quais você trabalha para garantir que a distribuição não se transforme em um problema de SEO.

Idealmente, o editor deve usar a tag canônica no artigo para indicar que seu site é a fonte original do conteúdo. Outra opção é usar uma tag noindex no conteúdo distribuído. É sempre melhor verificar isso manualmente cada vez que uma parte de seu conteúdo for publicada em outro site.

3. Páginas HTTP e HTTPS

Um dos problemas de duplicação interna mais comuns são URLs HTTP e HTTPS idênticas em um site. Esses problemas surgem quando a mudança para HTTPS não é implementada com a atenção total que o processo exige. Os dois cenários mais comuns quando isso acontece são:

  • Parte do seu site é HTTPS e usa URLs relativos.

Geralmente, é justo usar uma única página ou diretório seguro (pense em páginas de login e carrinhos de compras) em um site HTTP. No entanto, é importante ter em mente que essas páginas podem ter links internos apontando para URLs relativos em vez de URLs absolutas:

URL absoluto: https://intuitivaweb.agency/blog/

URL relativo: / blog /

URLs relativos não contêm informações de protocolo; em vez disso, eles usam o mesmo protocolo que a página pai em que são encontrados. Se um bot de pesquisa encontrar um link interno como este e decidir segui-lo, ele acessará um URL HTTPS. Poderia, então, continuar o rastreamento seguindo mais links internos relativos e até mesmo rastrear todo o site no formato seguro e, assim, indexar duas versões completamente idênticas das páginas do seu site. Nesse cenário, você desejaria usar URLs absolutos em vez de URLs relativos em links internos. Se já houver páginas HTTP e HTTPS duplicadas em seu site, redirecionar permanentemente as páginas seguras para as versões HTTP corretas é a melhor solução.

  • Você mudou todo o site para HTTPS, mas a versão HTTP ainda está acessível.

Isso pode acontecer se houver backlinks de outros sites que apontam para páginas HTTP ou porque alguns dos links internos em seu site ainda contém o protocolo antigo e as páginas não seguras não redirecionam os visitantes para os seguros. Para evitar a diluição de link Juice e o desperdício de seu Crawl Budget, use o redirecionamento 301 em todas as suas páginas HTTP e verifique se todos os links internos em seu site estão especificados por meio de URLs relativos.

Você pode verificar rapidamente se o seu site tem um problema de duplicação HTTP / HTTPS no WebSite Auditor do SEO PowerSuite. Tudo o que você precisa fazer é criar um projeto para o seu site; Quando o rastreamento do aplicativo terminar, clique em Problemas com versões de site HTTP / HTTPS na auditoria do seu site para ver onde você está.

4. Páginas WWW e não WWW

Uma das causas mais antigas de conteúdo duplicado é quando as versões WWW e não WWW do site são acessíveis. Como com o HTTPS, esse problema é comumente corrigido pela implementação de redirecionamentos 301. Uma opção ainda melhor seria especificar seu domínio preferido no Google Search Console.

Para verificar se há casos de duplicação em seu site, consulte as versões www e não-www fixas (em Redirecionamentos) em seu projeto WebSite Auditor.

5. Parâmetros de URL gerados dinamicamente

Os parâmetros gerados dinamicamente são frequentemente usados para armazenar determinadas informações sobre os usuários (como IDs de sessão) ou para exibir uma versão ligeiramente diferente da mesma página (como uma com ajustes de classificação ou filtragem feitos). Isso resulta em URLs com esta aparência:

URL 1: https://intuitivaweb.agency//rank-tracker.html?newuser=true

URL 2: https://intuitivaweb.agency/rank-tracker.html?order=desc

Embora essas páginas normalmente contenham o mesmo conteúdo (ou muito semelhante), ambos são páginas diferentes para a Google rastrear. Geralmente, os parâmetros dinâmicos criam não duas, mas dezenas de versões diferentes da URL, o que pode resultar em enormes quantidades de Crawl Budget gasto em vão.

6. Conteúdo semelhante

Quando as pessoas falam sobre duplicação de conteúdo, elas geralmente implicam conteúdo completamente idêntico. No entanto, partes de conteúdo muito semelhante também se enquadram na definição do Google de conteúdo duplicado:

“Se você tiver muitas páginas semelhantes, considere expandir cada página ou consolidar as páginas em uma. Por exemplo, se você tiver um site de viagens com páginas separadas para duas cidades, mas as mesmas informações nas duas páginas, poderá mesclar páginas em uma página sobre ambas as cidades ou pode expandir cada página para conter conteúdo exclusivo sobre cada cidade. “

Tais problemas podem ocorrer com frequência em sites de comércio eletrônico, com descrições de produtos similares que diferem apenas em algumas especificações. Para resolver isso, tente tornar suas páginas de produtos diversas em todas as áreas, além da descrição: as resenhas de usuários são uma ótima maneira de conseguir isso. Nos blogs, problemas de conteúdo semelhantes podem surgir quando você pega um conteúdo antigo, adiciona algumas atualizações e o refaz em uma nova postagem. Nesse cenário, usar um link canônico (ou um redirecionamento 301) no artigo antigo é a melhor solução.

7. Páginas para impressão

Se as páginas do seu site tiverem versões para impressão acessíveis por meio de URLs separados, será fácil para o Google localizar e rastrear essas informações por meio de links internos. Obviamente, o conteúdo da própria página e sua versão para impressão será idêntico, o que desperdiçará seu crawl budget novamente.

Se você oferecer páginas para impressão aos visitantes de seu site, é melhor fechá-las  para os bots de mecanismos de pesquisa por meio de uma tag noindex. Se todos eles estiverem armazenados em um único diretório, como https://intuitivaweb.agency/blog/print, poderá adicionar uma regra de noindex ao diretório inteiro no seu robots.txt.

Concluindo

O conteúdo duplicado pode ser um problema para os SEOs, pois dilui o link juice de suas páginas (também conhecido como Link power) e drena o crawl budget, impedindo que novas páginas sejam rastreadas e indexadas. Lembre-se de que suas melhores ferramentas para combater o problema são tags canônicas, redirecionamentos 301 e robots.txt e incorporar verificações de conteúdo duplicadas na rotina de auditoria do site para melhorar a indexação e as classificações.

Quais são as instâncias de conteúdo duplicado que você viu em seu próprio site e quais técnicas você usa para evitar duplicações?

Tem problemas de conteúdo duplicado e não consegue resolver?

Marque uma consultoria gratuita e sem compromisso com um nosso especialista SEO certificado Seocertification.org

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


SEO para e-commerce um guia para o sucesso

SEO para E-commerce: um guia para o sucesso

SEO para E-commerce: um guia para o sucesso.

Quer melhorar o posicionamento SEO do seu site de comércio eletrônico ou você pretende abrir um?

Neste artigo, vamos dar algumas dicas para implementar uma estratégia de SEO verdadeiramente eficaz para o comércio eletrônico.

Como você sabe, através do SEO (Search Engine Optimization) você pode obter resultados duradouros e de qualidade em termos de visibilidade e conversões. Na verdade, abrir um site de comércio eletrônico não significa automaticamente ganhar visibilidade on-line, receber pedidos a curto prazo e ganhar a confiança do Google e dos clientes.

O tempo gasto e o orçamento investido que permitem a manutenção de tal site e em consonância com a apreciação dos mecanismos de busca, certamente não são insignificantes, e você terá que lutar de forma discreta para ser capaz de distinguir-se dos concorrentes, posicionar-se na SERP. e obter ganhos.

Você tem que estar ciente de que os primeiros resultados de SEO podem vir a uma distância de 6 meses ou 1 ano, mas que uma boa estratégia de SEO pode dar muitas satisfações.

Está pronto para entrar em campo? Começamos a entender como fazer SEO para comércio eletrônico.

Tabela de conteúdos:

Estratégia de seo para e-commerce: o estudo do setor

SEO técnico para e-commerce: os pontos fundamentais

SEO para comércio eletrônico estratégico

Conclusões

SEO para e-commerce um guia para o sucesso

Estratégia de SEO para E-commerce: o estudo do setor

Estudo de mercado

Antes de entrar nos aspectos técnicos relacionados à otimização de SEO para Loja Virtual, queremos fazer uma premissa: um site de comércio eletrônico não é um site simples, mas um negócio real em todos os aspectos, caracterizado por ganhos, mas também por riscos de negócios. .

Então, antes de se encontrar gerenciando um site que nunca lhe trará resultados, estude o mercado da indústria, SERPs, concorrentes e identifique quaisquer oportunidades ou ameaças.

Você pode realizar uma pesquisa de mercado aprofundada, como questionários on-line ou em papel, e contar com softwares de análise, como o Google Market Finder e o Semrush, que lhe darão uma idéia do potencial de mercado e dos concorrentes com os quais você terá de lidar.

Estudo de palavras-chave

Depois de analisar o mercado e os concorrentes, é essencial estudar como o seu potencial cliente pesquisa online os produtos que você vende.

O software Planejador de Palavras-Chave da Google pode ajuda-lo, fornecendo-lhe uma lista de palavras-chave a partir das quais pode utilizar as que mais se aproximam da sua empresa.

Com um pouco de paciência e equipado com o Excel, divida as palavras-chave mais genéricas da mais longa e mais específica e analise a média mensal de pesquisas e concorrentes, exibindo o número de páginas indexadas no Google.

Lembre-se de que uma palavra-chave genérica como “Sapatos” será mais difícil de ser colocada nos mecanismos de pesquisa e converterá muito menos do que “tênis de corrida”.

Portanto, concentre-se em um nicho de mercado específico e você certamente obterá mais resultados em termos de posicionamento e conversão.

Para entender a dificuldade e a concorrência de uma palavra-chave, você pode confiar no software como o Moz, que lhe dá uma idéia da dificuldade de posicionamento relacionada a ela.

A partir das palavras-chave, você terá que começar a estudar a estrutura do seu site.

SEO Técnico para E-commerce: os pontos fundamentais

Estrutura do site de comércio eletrônico

A estrutura de um site corresponde às fundações de uma casa e, portanto, é decisiva para um bom projeto de SEO para comércio eletrônico.

Das palavras-chave analisadas acima, extrapola aquelas que você considera mais importantes e organizadas de acordo com uma lógica bem estruturada.

Imagine a estrutura do site como uma pirâmide composta no topo da página inicial, depois por páginas de categoria, subcategoria e produto.

Crie uma hierarquia, comece a partir de casa e vá mais fundo usando palavras de cauda longa e específicas. Ao mesmo tempo, tente manter uma certa proximidade com a página inicial, não force o usuário a clicar demais para alcançar o que ele deseja.

URL

Como consequência da estrutura de um site, é feita referência à estrutura da URL. É importante que os URLs sejam amigáveis para SEO ou que melhor falem, isso é descritivo da página que eles representam.

Por exemplo: www.exemplo.com/sapatos-de-luxo

É aconselhável escrever o URL sempre em letras minúsculas, com as palavras divididas por um traço intermediário. Não use consultas de string no URL ou simplesmente códigos de produto.

Exemplo: www.exemplo.com/sapatos-de-luxo?cod.123

Exemplo: www.exemplo.com/mod-615

Além disso, as URLs que falam permitem ao usuário entender em qual parte do site estão localizadas e com o suporte de breadcrumbs permitem uma navegação simples e intuitiva.

Breadcrumbs

Não se esqueça de adicionar breadcrumbs ao seu site.

Esses rótulos específicos, que geralmente são encontrados no lado superior / esquerdo da página, não são úteis apenas para os mecanismos de pesquisa, mas são ainda mais úteis para os usuários.

Eles permitem navegação hierárquica e retroativa em seu site.

Um usuário que está em uma página do produto na terceira ou quarta profundidade pode alcançar facilmente a categoria do produto por meio do breadcrumb, sem precisar acessar o menu. Em uma atividade de SEO para comércio eletrônico são essenciais.

Conteúdo do site

Página do produto e página da categoria

O conteúdo do site é essencial: eles devem ser originais, exaustivos e bem escritos.

O usuário de um site, especialmente um site de comércio eletrônico, deve obter o máximo de informações possível de uma página. A originalidade e completude dos textos, tanto para quem está na categoria quanto para o produto, são fundamentais para o SEO e para o usuário.

Escrever um conteúdo original evita possíveis penalidades do Google e fornece informações valiosas para o processo de compra.

Portanto, evite copiar os textos do site do seu provedor (como você pode fazer do seu próprio concorrente) para não se deparar com um conteúdo duplicado e de pouco valor. É aconselhável que você os reescreva, identificando os pontos fortes e fracos de seu produto e se distinguindo dos outros.
Para a página da categoria, você poderia fazer uma antecipação do que o usuário compraria resumindo o que a categoria lida; para esse produto, você precisa escrever o máximo de informações úteis possível! Aproveite ao máximo suas habilidades de SEO Copywriting, concentrando-se em palavras-chave, relacionadas e intenções de pesquisa do usuário.

Fotografias e vídeos do produto

Em um site de vendas on-line, fotografias e vídeos dos produtos são muito importantes para envolver e atrair a atenção do usuário. Com o advento da Busca Universal, imagens e vídeos também ocuparam cada vez mais espaço nas SERPs.

Em uma boa estratégia de SEO para comércio eletrônico, portanto, é essencial otimizar esses elementos, tanto para mecanismos de pesquisa (através do uso de um nome de arquivo correto, o título alt, peso limitado do arquivo), como para usuários fornecendo imagens e vídeos originais que fornecem algo mais do que seus concorrentes (para mais informações, leia este artigo sobre como otimizar imagens). Especialmente se você vender produtos já em outros sites, distinguir fornecendo fotografias tiradas de diferentes ângulos e focado nos detalhes: de algo mais, tentando encurtar a distância entre o cliente e o produto que ele quer comprar.

Otimização de tag de título e meta description

Na base de um bom trabalho SEO para comércio eletrônico, existem essas tags: tags de cabeçalho, título e meta description. Eles devem conter a palavra-chave para a qual você deseja colocar uma determinada página e devem ser gravados e utilizados de forma eficaz.

Em particular, os dois últimos, que aparecem nos snippets do Google Serp, se escritos de uma determinada maneira, podem aumentar o CTR. Não os subestime!

Dados estruturados

Adicione dados estruturados ao seu site de comércio eletrônico. Dados estruturados são marcações que fornecem mais informações aos mecanismos de pesquisa sobre uma determinada página.

Em seu site de comércio eletrônico, você deve inserir esses dados nas páginas do produto para que as informações apareçam nos snippets, como preço, avaliações de usuários e produtos disponíveis em estoque.

Feeds RSS parciais

Muitas vezes, os canais de vendas de um e-commerce não se limitam ao Adwords ou ao tráfego orgânico, pois muitas vezes estão conectados a plataformas ainda mais populares, como a Amazon.

Os conteúdos conectados a essas plataformas podem ser sincronizados via Feed rss.

Para evitar que o conteúdo seja duplicado nesses gigantes, recomenda-se enviar Feed Rss “parcial”.

Rel = canonical

A tag rel = canonical em um site serve para evitar problemas de duplicação de conteúdo. Pode acontecer, especialmente para o comércio eletrônico, ter uma página cujo conteúdo seja semelhante ao de outro. Por meio dessa tag, o Google indica a versão canônica “preferida” de uma página. Em uma estratégia de SEO para comércio eletrônico, você não pode perder esta tag!

Rel = “next” e Rel = “prev”

Muitas vezes, os sites de e-commerce têm muitos produtos distribuídos em várias páginas e, através das tags rel = “next” e rel = “prev”, indicam ao bot a paginação correta e lógica a ser seguida.

robots.txt

Adicione o robots.txt ao seu site.

Esse tipo de arquivo regula o acesso do Google aos recursos do site informando ao bot quais páginas devem ser digitalizadas e quais não. É muito útil, especialmente em grandes sites como o comércio eletrônico, não para digitalizar recursos marginais ou duplicados.

Product Sitemap

Como você sabe, por meio do console de pesquisa do Google, você pode enviar sitemap.xml para o Google.

O sitemap é um tipo de índice que é enviado para o Google e que contém as páginas do seu site, permitindo que você tenha uma lista bem definida de URL presente.

Para um site grande, como um comércio eletrônico, você pode criar vários sitemaps para ter um melhor gerenciamento dos URLs e quaisquer erros relacionados a eles.

Por exemplo, você pode criar um sitemap para produtos, categorias, páginas institucionais e blogs. Não basta criar sitemap.xml, você também pode criar um sitemap html para vincular no rodapé, para ajudar seus clientes potenciais a navegar.

Gerenciamento de produtos fora de produção ou não disponíveis: códigos http

Muitas vezes acontece que muitos produtos estão fora de produção ou não estão mais disponíveis. Começar a fazer SEO para comércio eletrônico também significa gerenciar essas situações com códigos http.

No primeiro caso, é aconselhável redirecionar 301 da página indexada para uma similar ou para a página da respectiva categoria.

Por exemplo, os sapatos “running mod 1” podem ser endereçados com um redirecionamento 301 para a página de sapatos “running mod 2”.

Se o produto não estiver disponível no momento, retorne o status 200 para a página e insira links para produtos semelhantes.

Caso o produto não esteja mais disponível e você tenha certeza de que não deseja vendê-lo, poderá retornar um erro 404 com uma página personalizada ou um código 410.

Velocidade do site

Os sites devem ser rápidos, especialmente o comércio eletrônico, onde o usuário pretende comprar e não deseja esperar muito para que a página seja carregada.

Em seguida, ele otimiza o conteúdo, como páginas, fotos, arquivos css e JavaScript. Use o GT Metrix para entender qual frente intervir para acelerar o seu site.

O objetivo é não ter apenas a velocidade do lado do código, muito apreciada pelos bot do buscadores, mas também a velocidade no processo de compra. Evite formulários muito longos ou registros de sites difíceis. Otimize a transação e os horários para que seu cliente em potencial não abandone o carrinho.

Protocolo Https

Se as transações ocorrerem diretamente no seu site e não em plataformas externas, como o Paypal, é essencial usar o protocolo HTTPS. Dessa forma, as transações são mais seguras porque os dados trocados são criptografados e não podem ser interceptados.

O Google gosta tanto da segurança que, em 2016, afirmou que o protocolo https se tornou um fator de SEO. Definitivamente, um caminho a ser avaliado.

SEO para comércio eletrônico estratégico:

Algumas pequenas dicas de marketing na web

ComentáriosPermita que seus clientes deixem comentários nas páginas de produtos. Eles são muito úteis para ajudar outros usuários a comprar e fornecer informações adicionais. Uma página de produto com muitas avaliações pode aumentar as conversões.

Blog

Em sua estratégia de SEO para comércio eletrônico, não esqueça de abrir um blog! O blog é um importante canal de comunicação para um site de vendas online. Através desta seção do site você irá fornecer notícias, informações e insights sobre os produtos que você vende, sobre a realidade da empresa e muito mais.

O blog também deve ser usado estrategicamente para posicionar seu site para determinadas palavras-chave, assim você se esforça para entrar na SERP com páginas de produtos ou categorias. Abra um gateway adicional para o seu site, fornecendo artigos otimizados em termos de SEO e úteis para os usuários.

FAQ (perguntas frequentes)

Os sites de comércio eletrônico geralmente consistem em muitas páginas e os usuários lutam para encontrar informações sobre o produto. Colete perguntas que seus usuários costumam fazer sobre um determinado produto e insira-as em suas páginas. Você não só ajudaria o usuário a encontrar informações, como também poderia tirar proveito dessas perguntas e respostas a seu favor, tentando colocar a página para palavras-chave de cauda longa.

Botão “Pesquisar”

Monitore o botão de pesquisa no seu site. Através deste sistema você poderia entender quais palavras-chave seus usuários estão procurando por determinados produtos no site e você poderia perguntar por que eles usam este caminho para procurá-los.

Quando você tem alguns dados, você pode agir de forma diferente, por exemplo, tornando uma página mais visível do que outra, ou nomeando o produto de forma diferente.

Link Building e Link Earning

Promova seus produtos ou suas categorias de produtos por meio de um bom Link Building, feito de avaliações e postagens de convidados. Você poderia entrar em contato com alguns blogueiros e propor colaborações para obter comentários e Backlinks para o site. Use Anchor Text de forma estratégica sem exagerar com as keywords exatas.

Social – Like e compartilhamento

Adicione os botões de compartilhamento social nas páginas do produto. Torne-os visíveis e posicione-os em um ponto estratégico do cartão do produto para criar engajamento. Um compartilhamento semelhante pode gerar tráfego social e você pode expandir sua base de clientes.

Otimização da taxa de conversão (CRO) e automação de marketing

Usando as estratégias CRO – Otimização de taxa de conversão e Automação de marketing, você não só poderá aumentar suas vendas, mas também poderá melhorar a experiência do usuário do seu site de comércio eletrônico. Uma boa experiência do usuário pode apoiar sua estratégia de SEO de comércio eletrônico, fornecendo ao usuário o que eles querem no momento certo. Por exemplo, através de software avançado, você pode aproveitar a personalização da web ou a capacidade de oferecer, dependendo do tipo de navegador que navega em seu site, layouts gráficos, produtos, banners, descontos e textos diferentes e estudados ad hoc.

Google Analytics

Escusado será dizer que monitorize o progresso do seu comércio eletrónico através do Google Analytics!

Conclusões

Como você viu, os fundamentos da otimização de SEO para lojas on-line não são diferentes daqueles dos sites clássicos, mas é importante que algumas sutilezas e atenções sejam colocadas em prática para fazer a diferença.

Por esta razão, contar com uma agência profissional que pode realizar o posicionamento da sua Loja Virtual continua a ser a melhor escolha para obter resultados muito bons.

e a sua Loja Virtual está com um bom SEO?

nossos especialistas certificados SEO estão à sua disposição para uma consultoria gratuita de 60 minutos para ajudá-lo em todas as fases de uma estratégia SEO eficaz para seu E-Commerce.

Nosso time de especialistas em Inbound marketing está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


marketing digital-para-startups-erros-a-evitar

Marketing Digital para startups: erros a evitar

Marketing Digital para startups: erros a evitar

Veja o que você precisa ter cuidado ao desenvolver estratégias de Growth Hacking para startups.

Qualquer estratégia relacionada ao desenvolvimento de um produto de uma startup em estágio inicial não é exclusiva dos desenvolvedores de software. Assim como a distribuição e promoção não são apenas marketing. O Growth Hacking é um método de trabalho e uma abordagem que não pertence a um único departamento da empresa, mas é obtido da interseção de marketing, pesquisa de produto, design, análise de dados, programação e atendimento ao cliente.

Lançar sua própria startup é um grande desafio. O B2B está cheio de riscos e detalhes técnicos que devem ser conhecidos. As startups que entram no B2B muitas vezes precisam iniciar uma viajem sem um mapa do tesouro disponível. A geração de leads e o desenvolvimento da marca são as partes mais difíceis durante essa evolução, porque, ao contrário do B2C, alcançar clientes e mantê-los não é tão fácil. O growth hacking é uma das estratégias que os gerentes de marketing nos setores B2B adotaram para superar as dificuldades.

Há toneladas de dicas e táticas a seguir quando se trata de Growth Hacking, mas poucos identificam erros a serem evitados, e é por isso que pensamos em citar os mais importante neste artigo:

marketing digital-para-startups-erros-a-evitar

Não analisar uma técnica antes de aplicá-la

O maior erro que você pode fazer com uma inicialização é aplicar uma técnica de teste A/B sem considerar se é a solução mais adequada para o seu produto. Cada produto e mercado são únicos e precisam de diferentes técnicas de marketing. Usar uma ideia apenas porque ela foi bem-sucedida para outro negócio sem uma análise sólida por trás disso pode fazer mais mal do que bem na inicialização. Sugerimos evitar esse tipo de erro, e fazer uma análise do produto, do cliente e dos concorrentes.

Não compreender o comportamento do consumidor

O cenário atual colocou o consumidor no centro da cadeia de compra e venda. Uma startup deve entender completamente o comportamento de seus clientes se quiser triunfar. Informações sobre demanda do consumidor, ciclo de vendas, comentários do consumidor e suas revisões devem ser coletadas e usadas para desenvolver estratégias de marketing digital. Se você não assumir esse tipo de abordagem, poderá oferecer ao cliente final um produto ou um serviço que não atenda aos seus reais desejos. Nesse sentido, entender seu Buyer Persona é muito importante.

Não prestar atenção ao gerenciamento de risco

Outro erro é a falta de atenção ao gerenciamento de riscos. O risco é uma parte indispensável do negócio, independentemente do produto com o qual você está trabalhando. Um plano de gerenciamento de riscos deve estar no centro de qualquer estratégia de negócios. Na verdade, ele pode ser usado como uma ferramenta para aumentar a reputação da empresa e seu crescimento. Um exemplo disso foi o que o Airbnb fez durante o furacão Sandy em 2012 reduzindo muito suas tarifas e ofereceu acomodação a todas as pessoas que estavam com problemas causados pelo furacão, como resultado desse ímã natural, essa estratégia de marketing inteligente teve um ROI muito importante a longo prazo e beneficiou várias pessoas atingidas pelo desastre.

Deixar o trabalho apenas nos ombros de uma pessoa

Pensar que o growth hacking é o trabalho de uma única pessoa é uma abordagem de falência, toda a organização deve estar envolvida. A geração de leads é um processo que envolve o departamento de marketing, o departamento comercial e o foco no cliente, por isso eles têm que trabalhar em harmonia e trocar ideias e opiniões para criar novas ideias voltadas para o crescimento da empresa.

Não se concentrar nos benefícios que o produto está oferecendo

A apresentação do produto é a primeira coisa em que uma startup deve funcionar. A maneira como você apresenta o produto a um possível comprador faz a diferença na criação de vendas e rotatividade para sua empresa. Há uma tendência para se concentrar nas características e funções do produto e muitas vezes eles esquecem os benefícios. Este é um erro que pode ter impacto na geração de novas oportunidades de vendas a longo prazo.

Ignorar os custos

Uma startup deve ter um orçamento em todos os processos internos, como: marketing digital e gerenciamento de mídia social. Ignorar custos ou não fazer previsões pode ter um grande impacto no crescimento futuro da empresa. O Custo por Aquisição (CPA) deve ser mantido sob controle durante a execução de sua estratégia. Este indicador dará uma boa aproximação à estratégia e seus resultados esperados, indicando para a startup se é melhor continuar com a estratégia atual ou mudar a abordagem.

O growth hacking é um elemento essencial para qualquer startup de B2B por sua abordagem agressiva e com foco em resultados, em pouco tempo você já pode ter resultados significativos. No entanto, os erros estão sempre na esquina e podem ter um grande impacto na estratégia adotada. Uma análise cuidadosa, execução impecável e a capacidade de ser flexível e se adaptar às mudanças repentinas no mercado são as melhores maneiras de eliminar esses erros e trazendo sua startup para o crescimento permitindo-lhe dar esse passo extra que muitas vezes distingue as poucas startups que são bem sucedidas daqueles que infelizmente descobrem tarde demais ter cometido um erro em sua abordagem ao mercado.

e a sua startup está fazendo o caminho certo na estratégia de marketing digital?

nossos especialistas certificados estão à sua disposição para uma consultoria gratuita de 60 minutos para ajudá-lo em todas as fases de uma estratégia de marketing digital eficaz para sua startup.

Nosso time de especialistas em Inbound marketing está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


Copywriting SEO, a nova estratégia de conteúdo

Copywriting SEO, a nova estratégia de conteúdo

Copywriting Seo: está pronto para revolução?

A nova estratégia de conteúdo para escrever um bom SEO.

Em 2018 nós vimos participando de uma verdadeira revolução, a que a Hubspot chamou de Mobilegeddon Update, porque a evolução está ligada ao aumento de buscas por celular e buscas vocais.

Seo, uma evolução contínua.

A Google está mudando e as estratégias de conteúdo não serão mais as mesmas. Estamos enfrentando meses difíceis, trabalho árduo para tentar não perder as posições adquiridas em anos e anos de produção de conteúdo otimizado. Aqui está uma visão de tudo que você precisa saber para evitar a queda da SERP.

A pesquisa das pessoas está mudando e todos os mecanismos de pesquisa – o Google, em primeiro lugar – evoluíram.

Os relatórios mais recentes explicam que:

  • 64% das buscas totais têm 4 palavras ou mais, e a porcentagem continua a subir.
  • 20% das buscas são vocais (então elas vêm de dispositivos móveis) e, mesmo nesse caso, a porcentagem continua aumentando.

Até hoje, para aumentar o ranqueamento orgânico era suficiente que o blog, o site, a loja virtual fosse estruturado para construir posts em palavras-chave específicas. Agora, os mecanismos começaram a adivinhar o termo de pesquisa em seu significado e ilustram o conteúdo apropriado.

Por exemplo, se você pesquisar por um Hotel, o Google também mostrará os resultados de pousadas e casa para temporada, incluindo resultados que contenham sinônimos. O Google hoje entende exatamente o que uma pessoa digita e oferece os resultados que melhor respondem à solicitação.

O SEO está melhorando sua compreensão dos textos e blogs e o conteúdo também deve acompanhar essa evolução muito importante.

E sendo que o SEO evolui continuamente, temos que adaptar nosso conteúdo … para continuar a ser encontrados on-line!

Copywriting SEO, a nova estratégia de conteúdo

Pilar Page:

Uma Pilar page é a base a partir da qual a arquitetura de conteúdo é construída. É uma página da web e deve ser feita para cada tópico identificado na sua estratégia.

O Pilar abrange todos os aspectos de um determinado tópico em uma única página, com relatório mais extensa e detalhada para o espaço que eles enviam para o post com links relacionados à página pilar.

Agora, a maneira de ganhar posições com nosso conteúdo é seguir o modelo de tópico de cluster.

Modelo de tópico de cluster

Ele consiste em focar o seu tema principal, criar subcategorias e amarrar o conteúdo com palavras-chave que se conectam uns aos outros com links.

Por exemplo

Um tema da Intuitiva poderia ser “estratégia de SEO” para que os posts que falam sobre “como melhorar o posicionamento de uma loja virtual nos motores de busca?“, “exemplos de estratégias de SEO para o seu blog”, “escrever bem para vender mais” sejam conectados como subtemas “, Etc.

A postagem do blog se torna o conteúdo mais detalhado que responde a perguntas mais específicas do que o tópico central.

CUIDADO

O tópico e o subtópico devem necessariamente ser vinculados do ponto de vista do conteúdo.

Nós não podemos amarrar um post no blog sobre patrocínios do Facebook para uma página de pilar em direitos autorais.

Podemos, no entanto, amarrar um post no Facebook, e um post sobre direitos autorais se o tópico é “Inbound Marketing.”

Como se adaptar à nova escrita SEO passo a passo.

Escolha o tópico ou faça uma lista de tópicos principais.

O primeiro passo é focar no tópico e não na palavra-chave. Como tópicos, precisamos encontrar argumentos bastante amplos para os quais queremos nos posicionar como referência: para o Inbound Marketing como tópico central, pode-se “aumentar o tráfego para o site” ou “como melhorar a geração de leads“.

Projetar e escrever.

Se você já tem um blog, já tem acesso ao conteúdo que foi otimizado para ser adaptado e atualizado. nossa sugestão é continuar assim:

  • Definir tópicos.
  • Faça um inventário dos conteúdos (mesmo imprimindo todos, usando um grande quadro ou criar um mapa com post-it) e criar clusters.
  • Desenvolva uma página de pilar para cada tópico para dar uma visão completa sobre o tópico, mas não tão exaustiva (para todos os detalhes, se referindo ao subtópico – post do blog).

As palavras-chave estão mortas?

Depois de anos de copywriters SEO como ferreiros martelando sobre a necessidade de usar a palavra-chave, agora acaba por não precisar mais de nenhuma?

Elas estão vivas!.Elas ainda servem!. Só que precisamos de muito mais do que isso!.

A escolha da palavra-chave “o jeito antigo”, ou seja, considerando aquelas de maior volume, deve ser mantida principalmente nos títulos e legendas do conteúdo tomando cuidado, no texto, para inserir sinônimos diferentes para ser entendido pelo Google (que usa sinônimo cloud).

E seu WebSite, está pronto para revolução SEO?

Solicite a análise gratuita de nossos especialistas em otimização para buscadores do seu website.

Nosso time de especialistas em SEO está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


link-building

O que é Link Building e qual sua importância para SEO?

O que é link building e qual sua importância para SEO?

Entenda melhor o significado e a importância do link building na estratégia de SEO.

O trabalho de ranqueamento de páginas requer bastante estudo, dedicação e uma estratégia de seo bem elaborada. link building é uma das técnicas que trazem os melhores resultados para o seu site ou blog. por isso, vamos conferir um pouco mais como o link building pode ser benéfico para sua estratégia de marketing!

MAS AFINAL, O QUE É LINK BUILDING?

De forma resumida, ou prática,uma estratégia ideal de seo deve consistir em duas fases distintas, uma fase on-page e uma fase off-page. o link building está posicionado exatamente em essa segunda etapa. literalmente, “link building” significa construir uma rede de links. esta é uma técnica de seo projetada para construir uma série de links externos que falam, citam ou mencionam nosso site com o objetivo de aumentar sua reputação na grande comunidade da web. seguindo uma estratégia bem definida, você pode aumentar o número de links recebidos para o seu site e a popularidade ou link popularity, ou seja, o número de sites que apontam para uma página.

Os mecanismos de pesquisa dão grande importância aos BackLinks. em um universo ideal de seo, a quantidade de links recebidos é um fator crucial para determinar a relevância de uma página. o conceito é simples: quanto mais houver menções a uma determinada página, maior o valor que essa menção deve transmitir. os links devem representar

Introspecções em que o usuário encontra mais informações sobre sua pesquisa. muitas vezes, no entanto, ter um grande número de links que se referem ao nosso site não significa ganhar em termos de posicionamento nos motores de busca, pelo contrário … por quê? vamos descobrir juntos.

link-building

FAZER LINK BUILDING: QUANTIDADE OU QUALIDADE?

Como dito anteriormente, os motores de busca é que vão dizer qual a popularidade e relevância do seu site. dessa forma, quando algum site que possui boa relevância cita o seu site, é como se ele estivesse indicando você e dizendo que seu site é confiável e vai apresentar conteúdo interessante para o público.

Partindo da ideia de que cada domínio possui uma força diante dos buscadores, e que quando mais força seu domínio tiver é melhor, a resposta é sim! a quantidade de links é importante. entretanto, a diversidade desses apontamento também são muito importantes.

DEFINIÇÃO DE PAGERANK

Obviamente, os links externos que se referem ao nosso site não podem ser avaliados da mesma maneira. para desenvolver este conceito precisamos dar um passo para trás, precisamente quando larry page e sergey brin fundadores do google patentearam a idéia de que não era a quantidade de links para determinar a importância de um site, e sim a qualidade das fontes. o que isso significa? quanto maior a autoridade da fonte que menciona nosso site, maior será a importância que ele adquirirá. não só isso, além deste fator entrou em jogo o conceito de materialidade: se o nosso site sobre cozinha, por exemplo, será um link mais relevante de uma fonte sobre o mundo vertical de cozinhar em comparação com um link genérico. desde a “soma” desses dois fatores-chave que ele nasceu o chamado pagerank, um parâmetro, mostrado com uma barra verde , indicando uma pontuação que determinou a autoridade de um site, que se tornou um ícone para o ranking do site no serps (e que por cerca de dois anos foi removido).

PLANEJANDO UMA ESTRATÉGIA DE LINK BUILDING

Como escrevemos anteriormente, o link building é uma atividade fundamental no planejamento de uma estratégia de SEO e o objetivo principal é obter não só um número substancial de links, mas acima de tudo, links de qualidade. isso é feito através da construção de uma rede de links espalhados pela web, que literalmente servem para fazer conhecer o nosso site, para que todos saibam que nós existimos.

UMA OLHADA NO LINK BUILDING DO FUTURO

A internet está mudando e com ela o mundo do seo. o conceito de link follow/nofollow, por exemplo, está em constante evolução: segundo gary illyes, webmaster do google e duane forrester, gerente sênior de produto do bing, os mecanismos de busca vão cada vez mais (positivamente) considerar as menções sem links: redes sociais, pessoas, sites de qualidade que mencionam nossa marca serão cada vez mais cruciais para o posicionamento. no futuro, um número substancial de menções sem vinculação terá um impacto cada vez maior na escalada das serps. obtendo apenas links, por outro lado, não seria lógico ou natural e o google… sabe disso!

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


seo para loja virtual dicas

Como melhorar o SEO de uma loja virtual nos motores de busca?

como melhorar o SEO de uma loja virtual nos motores de busca?

Essa è a pergunta recorrente para os especialistas e profissionais de SEO.

Já vimos como aumentar as vendas do seu comércio eletrônico com técnicas de SEO, este artigo pretende ser um guia completo para a otimização de uma loja virtual na ótica do SEO.

O Search Engine Optimization para uma loja virtual substancialmente não difere de qualquer outro site, mesmo que existam algumas peculiaridades típicas de lojas on-line para as quais a devida atenção deve ser dadas.

Os objetivos que podem ser alcançados trabalhando no SEO do E-Commerce são:

  • Aumentar o faturamento e a receita de vendas,
  • Aumentar o número de visitantes e potenciais clientes (Leads)
  • Gerar tráfego
  • Construir a reputação de marca da loja
  • Tornar os resultados de visibilidade e conversão duradouros ao longo do tempo

A estratégia de SEO para o comércio electrónico é a solução para melhorar um eShop de uma grande empresas e inclui uma série de atividades que destacam a confiabilidade e credibilidade aos olhos dos potenciais clientes. São precisamente os pequenos varejistas online que trabalham mais para conquistar uma pequena fatia do mercado, “lutando” diariamente contra os grandes mercados, aqueles que não podem esquecer o planejamento oportuno de uma estratégia de SEO para tornar seu eShop conhecido e torná-lo efetivamente competitivo, em comparação com a concorrência.

Embora um site seja capaz de vender por conta própria, é improvável que isso aconteça se não realizarmos análises dos interesses da meta, da concorrência existente nos setores em que operamos, da otimização dos mecanismos de pesquisa para interceptar as visitas de pessoas que procuram bens e serviços como os nossos.

No entanto, aplicar boas políticas do Google na prática não é fácil nem intuitivo. Como cada estratégia de otimização de SEO requer o desenvolvimento de estratégias e diretrizes para o caso específico,e para cumprir as expectativas do alvo em questão e as necessidades e disponibilidade do cliente.

seo para loja virtual dicas

envolver uma agência pode ajudar

Envolver profissionais de SEO desde os estágios iniciais de criação de uma loja virtual pode, de fato, permitir otimizar a taxa de conversão para duplicar o tráfego para o site e as vendas. Pensar apenas numa fase posterior de desenvolvimento para poder alcançar imediatamente posições relevantes nos motores de busca e conseguir grandes margens de lucro é uma ilusão que infelizmente também afeta muitos comerciantes. Por essa razão, é essencial não subestimar a importância do SEO desde os estágios iniciais de criação ou reestilização de um site, especialmente considerando a complexidade do trabalho que inclui muitas atividades que vão muito além da identificação exclusiva de palavras-chave, como a análise das dificuldades encontradas pelos clientes que navegam na loja ou procuram formas de melhorar a experiência de compra.

É preciso muito tempo e paciência (os primeiros resultados de SEO podem chegar a meses e às vezes até anos), bem como a necessidade de investir um orçamento suficiente: quanto mais atenção ser dada à otimização de SEO, será maior a probabilidade de ganhar terreno em comparação com os concorrentes nas ferramentas de pesquisa e, portanto, interceptando os clientes-alvo e aumentando as conversões.

SEO PARA ECOMMERCE: CONSELHOS IMPORTANTES

Como dissemos, o processo de trabalho é longo e requer muita paciência, mas existem algumas dicas de SEO para o comércio eletrônico, úteis para aqueles que querem iniciar uma loja online ou querem melhorar as vendas.

Se você quer faturar de forma digna graças ao seu e-commerce, aqui estão algumas dicas para posicionar seu site que certamente podem ser úteis!

Crie um sitemap

Um sitemap é uma lista que contém todos os URLs em um site hierarquicamente. O Google suporta diferentes formatos de sitemap e até 50.000 URLs para cada um. Graças a isso, os mecanismos de pesquisa podem varrer o site mais rapidamente e, no caso do comércio eletrônico, você pode encontrar produtos que não tenham um caminho indexado. Existem duas maneiras diferentes de denunciar o Sitemap ao Google: enviá-lo por meio da ferramenta Sitemap no Search Console ou digitando a string “Sitemap: http: //example.com/sitemap_location.xml” em qualquer lugar do arquivo robots.txt.”

Melhore as conexões internas

Conexões internas são os hiperlink entre as páginas do site; A criação de uma rede de links internos, através da qual a navegação dos usuários é facilitada, desempenha um papel significativo na melhoria do SEO. A eficácia das atividades de Conexões interna é dada pela relevância em vincular produtos e categorias, na vinculação de produtos e produtos e no uso correto do Anchor Text. O uso inadequado de links internos pode gerar frustração no visitante e penalidades por parte dos mecanismos de busca.

Um link deve ser real, deve fazer sentido existir. É necessário perguntar se esse link é útil para si e para quem está recebendo

Otimizar o atributo alt de imagens

A imagem está entre os principais elementos de uma Loja online, não só pelo impacto gráfico que pode ter, mas também porque oferece uma oportunidade adicional para ser identificada na web. Para um eCommerce é realmente muito importante ser encontrado também através da busca de imagens de produtos (Google Image Search), para isto é necessário otimizar o atributo alt – que fornece informação textual alternativa para a imagem útil para os spiders dos buscadores e renomear as imagens com uma linguagem descritiva, simples e contendo as palavras-chave identificadas. Para melhorar a velocidade de carregamento de uma página, é aconselhável inserir as informações de altura e largura da imagem na tag img do HTML.

Analisar e identificar palavras-chave relevantes

Existem muitas ferramentas para pesquisar, analisar e identificar as palavras-chave mais relevantes em relação ao seu negócio. Seu uso é essencial para interceptar a intenção da pesquisa e como é uma atividade em constante evolução, é necessário estar atualizado sobre os algoritmos e como a busca por usuários muda. O trabalho inicial envolve uma análise cuidadosa das palavras-chave a serem indexadas às que comparam com as dos concorrentes. O objetivo é ampliar as SERPs do Google com uma ampla gama de textos que abordam o vocabulário médio do usuário.

Embora otimizar o conteúdo para combinações de palavras-chave específicas seja uma prática não ideal, dada a evolução dos algoritmos dos mecanismos de pesquisa e as diversas variações com as quais os usuários podem pesquisar tópicos de interesse, as palavras-chave são igualmente valiosas para influenciar sobre a colocação e são aconselháveis para ser incluído nos elementos mais importantes da página.

É importante trabalhar nas palavras-chave para escolher o nome das referências a serem vendidas e a categoria de produto à qual elas pertencem.

Submit

Crie descrições de produtos exclusivas e detalhadas

Uma descrição eficaz deve conter as palavras-chave relacionadas ao produto e o nome do produto com variantes e sinônimos. Muitos eShop caem no erro de se concentrar exclusivamente na indexação do conteúdo das páginas descritivas dos produtos incluídos em seu eCommerce; Na verdade, ao lado da folha do produto, é uma boa ideia criar uma série de textos que forneçam mais informações ao usuário.

O conteúdo e as descrições das folhas de produtos vendidos na Loja Virtual devem ser elaborados em uma perspectiva de SEO, levando em devida consideração as palavras-chave previamente pesquisadas com as diversas ferramentas disponíveis.

Os conteúdos, descrições de produtos e serviços oferecidos e comprados na E-Store devem ser 100% originais e não devem ser copiados ou plagiados de outros sites.

O bom posicionamento de uma loja virtual também depende da capacidade de escrever em óptica de SEO: Conteúdo estratégico é essencial para preparar páginas de produtos com descrições e conteúdo verdadeiramente exclusivo, não copiado de outros sites, com fotos e imagens originais.

Muito útil para interceptar clientes potenciais é a geolocalização (SEO Local) das palavras-chave, considerando que muitos consumidores estão procurando por um produto ou serviço específico na cidade onde residem ou participam por motivos profissionais.

Por exemplo, no caso de um comércio eletrônico de roupas, você pode usar as palavras-chave:

São Paulo casual wear

Sapatos da moda em São Paulo

São Paulo acessórios de luxo

O cartão do produto deve ter o Copy correto, que pode conter as palavras certas para entrar em um relacionamento com o usuário.

Atualize constantemente o conteúdo

Uma Loja Virtual requer constante atualização com novos produtos e novos conteúdos de acordo com as tendências sazonais e notícias de catálogo. Para manter a descrição do produto atualizada, pode ser útil ativar comentários e resenhas para cada guia: o feedback contínuo do cliente ajudará a manter o foco nos produtos. As avaliações podem acabar em vários URLs, por isso é preciso ter cuidado para evitar problemas de duplicação.

Melhore a relevância das páginas

Analisar constantemente tudo o que poderia interferir na relevância das páginas e, de forma mais geral, com o SEO, é uma boa prática que influencia o desempenho do comércio eletrônico. É importante monitorar a estrutura das páginas, a facilidade com que os usuários podem navegar no site e concluir as operações de compra. O local e o dispositivo usado têm um impacto direto na relevância e pertinência de uma página da Web em comparação com as pesquisas dos usuários: as últimas variam consideravelmente dependendo de serem realizadas por um dispositivo móvel ou um computador de mesa, assim como o senso de urgência, necessidades e objetivos da navegação.

Otimizar URLs

Os URLs devem conter o nome do produto para informar aos rastreadores sobre um sinal evidente do conteúdo das páginas em questão e sobre a relevância da intenção de pesquisa dos usuários.

Cada URL pode ser reescrito com uma estrutura como esta:

domínio/categoria/item-de-conteudo

De modo a evitar parâmetros variáveis, pouco significativos, mais difíceis de indexar e transmitir informações mais claras sobre o tema da página.

Submit

Reduza a taxa de recuperação simplificando a navegação

Fazer SEO significa voltar sua atenção para os mecanismos de pesquisa, mas também para os usuários. A User eXperience tem que ser constantemente monitorada e aprimorada, garantindo que os usuários encontrem facilmente o que estão procurando, reduzindo a frequência de recuperação e, portanto, o risco de não concluir a ação desejada, ou seja, comprar. Uma solução pode ser destacar os preços e produtos oferecidos, tornando as páginas e os conteúdos descritivos facilmente acessíveis. Particular atenção deve ser dada à experiência de navegação em dispositivos móveis: sendo um fator de classificação desde 2015, uma estratégia eficaz de SEO não pode ser separada de uma abordagem amigável para dispositivos móveis.

Melhore a velocidade do site

Os tempos de carregamento das páginas devem sempre ser mantidos baixos. Um site que leva mais de dois a três segundos para ser carregado é facilmente abandonado pelo navegador, portanto, a velocidade é um elemento-chave a ser monitorado para otimizar as taxas de conversão.

A velocidade é um fator fundamental que determina basicamente uma venda e pode afetar até 80% do volume de negócios de um site de comércio eletrônico.

Mantenha sempre as páginas indexadas online

No caso de os produtos em estoque serem encerrados, é sempre melhor manter a página on-line relacionada oferecendo produtos similares ou alternativos ou garantindo a possibilidade de reservar o item. Isso permitirá que você mantenha contato com seus clientes e a página continuará presente entre os resultados no mecanismo de pesquisa que leva os usuários ao site.

Blog e conteúdo informativo

Páginas web bem escritas e comunicativas ajudam a transmitir efetivamente as qualidades e vantagens, mas limitar-se a riscos de pesquisa de estilo comercial alienam as simpatias daqueles que buscam soluções para melhorar suas vidas.

Um blog da empresa é um excelente canal para abordar o seu alvo com dicas úteis e insights que apóiam o crescimento do reconhecimento da marca: receitas para entusiastas da culinária, tutoriais sobre exercícios de ginástica para lojas de esportes, resenhas dos últimos sucessos de videogames para lojas de videogame etc. . todas são ideias de soluções valiosas para atrair atenção e compartilhamento.

Mais nas mentes dos consumidores aumenta a associação entre a marca e o tipo de soluções propostas, podem sustentar o crescimento das buscas por navegação, ou seja, elas associam o conteúdo da pesquisa a uma origem de marca bem definida.

Através do blog, você pode lançar uma grande variedade de produtos para atrair o interesse de seu público como:

  • Vídeos de demonstração sobre a melhor forma de usar as soluções oferecidas.
  • Ebook sobre como resolver problemas frequentes para o alvo em questão.
  • Artigos informativos sobre temas relacionados ao seu negócio.
  • Revisões de produtos no setor.

Graças a ferramentas de monitoramento como Google Analytics e Webmaster Tools também pode verificar:

  • As principais fontes de tráfego.
  • Os conteúdos que mais interessam aos seus visitantes.
  • Que tipos de pesquisas ocorrem dentro do portal.
  • Deduzir que tipo de conteúdo é mais agradável para o seu público e investir tempo e recursos na sua implementação.

Mas lembre-se:

Antes de prosseguir com a otimização SEO, é necessário ter em mente que saber gerenciar uma loja virtual exige excelentes habilidades empreendedoras e de marketing. Se você quer que seu negócio seja bem sucedido, é essencial partir do estudo do setor em que atua, continuando com a análise de SERPs, concorrentes e quaisquer oportunidades ou ameaças inerentes ao setor.

Nessa fase de planejamento estratégico, é bom começar uma pesquisa de mercado aprofundada, como o uso de questionários on-line ou em papel, testes de painel e confiar no software de análise para obter uma visão do potencial de mercado e dos concorrentes. Ter uma Agência de Marketing Digital seria e especializada em SEO pode fazer muito bem para si mesmo e seu negócio.

Você gostou do artigo? Nós preparamos um guia para explorar o tema. SEO para E-commerce: um guia para o sucesso.

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


O que é um Lead?.

O que é um Lead?.

O que é um lead?.

Entenda melhor o que é um lead.

Vamos começar com uma questão fundamental em marketing: o que é um lead? o lead é um indivíduo que demonstrou interesse em um produto ou serviço de sua empresa: ele fez o download do conteúdo do seu site, ligou para você para obter mais informações, enviou um e-mail, etc.

Do ponto de vista da metodologia inbound, um lead se torna tal através de um processo de conversão. a partir do papel de um visitante, ele faz uma transição que aumenta as chances de se tornar um comprador em potencial. portanto, sem essas figuras, não seria possível encontrar novos clientes.

Submit

Por que leads são tão importantes?

Qualquer pessoa que se qualifique como lead de sua empresa, avaliou que o que é oferecido é válido, de modo a iniciar espontaneamente uma comunicação com você.

Isso implica que o indivíduo está disposto a receber mensagens de sua empresa, às quais ele já demonstrou algum interesse. Aproveite esta oportunidade para lhe enviar outros materiais úteis, comunicações do setor ou ofertas dedicadas: ao fazê-lo, você construirá uma relação de confiança com ele.

Como você atrai leads?

O processo de geração de leads ocorre da seguinte forma: o visitante acessa seu website, blog ou página social, interessado em seu conteúdo premium, clica no CTA, acessa a página de destino e decide preencher o formulário. Vamos analisar cuidadosamente os elementos que compõem essas fases:

tipo de ofertas leads

1) Oferta para download

É essencial que o material represente um incentivo efetivo para que o visitante deixe seus dados. Se você não oferecer algo útil, o CTA nunca será clicado e o usuário não compartilhará seu contato. A escolha da oferta deve estar relacionada ao estágio da buyer’s journey (jornada de compra) em que o indivíduo está localizado.

2) Call-To-Action

É um botão inserido dentro de um artigo ou em uma página do site que permite que futuros leads obtenham um conteúdo para download ou uma oferta entre os listados acima. Essa ferramenta redireciona o usuário para uma página de destino para permitir o registro do contato e iniciar o download do material ofertado. Por esta razão, deve ser claro, visível e estimulante.

3) página de destino (Landing Page)

Depois de clicar no CTA, você chegará a uma Landing Page (página de destino na tradução em Português). Esta página é caracterizada por textos e modelos essenciais que mostram claramente os benefícios que podem ser obtidos ao baixar o conteúdo premium (em troca do compartilhamento de informações pessoais), para evitar que o usuário se distraia e saia da página. É essencial que a página de destino não contenha links (o que poderia levar o usuário a navegar mais). Seu principal elemento é, sem dúvida, um formulário.

4) Formulário de contato

O formulário em uma página de destino é a ferramenta que permite coletar dados do visitante e iniciar sua transformação em leads.

É difícil estabelecer exatamente o que é necessário perguntar no formulário, certamente o endereço de e-mail, o nome e o sobrenome são dados fundamentais para considerar o contato como um lead. Solicitar um grande número de informações ou dados considerados muito pessoais pode levar o visitante a não preencher o formulário, o que resultará na perda de um novo cliente em potencial. Em geral, a regra é que o tamanho do formulário e o valor da oferta sejam equacionados: para um e-book será suficiente fornecer as informações essenciais, para solicitar uma consulta gratuita, será necessário solicitar mais dados.

Uma vez que a conversão tenha sido feita, o lead deve ser acompanhado por um contato simples para a decisão de compra final, por exemplo, por meio de estratégias de comunicação, como e-mail marketing.

Nutrição de Leads

As campanhas de marketing por e-mail são apenas uma das ferramentas normalmente usadas na fase de Nutrição de Leads. De fato, uma vez adquirida a informação sobre um lead, é necessário cultivar o relacionamento com ele para ganhar sua confiança: não se trata apenas de comunicar notícias da empresa e do setor, mas também oferecer conteúdo que tenha valor para o leitor, como artigos, informações, tutoriais em vídeo, ofertas personalizadas, etc.

Fazer a Nutrição de Leads significa estudar uma estratégia baseada no potencial cliente, de modo a surpreendê-lo, oferecendo-lhe exatamente o que ele precisava. Para isso, o uso de automação de marketing é inevitável: Permitindo que você tenha todas as informações sobre os leads, incluindo as interações que ele teve com sua empresa, as páginas do site visualizadas, os e-mails que ele clicou e muito mais. A automação também divide os leads em listas diferentes com base nas interações acima e também em outros parâmetros, para que você possa enviar e-mails automáticos do conteúdo perfeitamente alinhados com as ações do lead.

O que é um Lead?.

MQL e SQL: o que são e como distingui-los

Agora você sabe como gerar um Leads e como a nutrição de leads acontece, vamos introduzir uma outra definição:

Lead qualificado em marketing (MQL): o visitante de um site que demonstra um alto nível de envolvimento e é altamente provável que se torne um cliente. Um lead desse tipo mostra interesse no conteúdo de um site: fez o download de ofertas, assinou o boletim informativo ou adicionou um produto ao carrinho de comércio eletrônico.

Lead qualificado em vendas (SQL): uma pessoa que demonstrou interesse imediato nos produtos ou serviços de uma empresa. Ao contrário do MQL, esses indivíduos não precisam de uma estratégia promocional tão intensa para serem transformados em clientes, pois têm maior probabilidade de realizar a compra.

A diferença entre esses tipos de leads se manifesta especialmente no que diz respeito à divisão de responsabilidades dentro da empresa para sua transformação em clientes: conforme deduzido do nome, o MQL é de responsabilidade da equipe de marketing, enquanto o SQL da equipe de vendas.

Quanto vale uma Lead?

Para identificar o estágio de um lead na buyer’s journey (jornada de compra), é necessário configurar um sistema de pontuação de lead: o contato recebe uma pontuação mais alta se for um cliente em potencial mais válido e mais próximo da compra. Cada empresa pode estabelecer os parâmetros pelos quais pontua o cliente e o qual limite de pontuação a ser atingindo pelo cliente em potencial para que ele seja contatado pela equipe de vendas.

A maior vantagem da pontuação de leads? É que depois de definida, a pontuação é atribuída automaticamente e você não precisa seguir todas as ações do lead manualmente para descobrir quando ele está pronto para realizar a compra: uma notificação será sinalizada quando chegar este momento!

Agora você conhece todos os fundamentos!

Começamos desde o nascimento de um lead até chegar a sua transformação em um cliente: agora o processo está completo. No processo de aquisição, geração e nutrição de leads, a escolha de uma agência de marketing digital é fundamental para qualquer empresa.

Entenda qual é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit


growth-driven design

O que é o growth-driven design?

O que é o Growth Driven Design?

A expressão Growth Driven Design entrou agora na linguagem comum. Mas o que exatamente significa este novo termo?

Redesign” ou redesenho de um site, atividade que muitas vezes causam frustrações e ansiedade nas mentes dos empreendedores. Isso ocorre porque essas “palavras” geralmente indicam meses de trabalho em termos de reformulação, planejamento, análise, testes e muito mais. Atividades que prejudicam o desempenho das tarefas diárias e implicam em um esforço para repensar hipóteses ou mudanças que podem melhorar os negócios de um site depois que ele foi lançado.

O ponto é este: toda a equipe da empresa não pode se dar ao luxo de pausar suas atividades para se dedicar ao redesenho do site.

Como podemos alcançar melhores resultados? O Growth Driven Design pode ser a solução que você está procurando.

Growth Driven Design (GDD): definição

O Growth Driven Design é capaz de minimizar os riscos relacionados ao design tradicional da web porque, graças a uma abordagem sistemática que reduz o tempo de desenvolvimento e colocação do site em produção, permitindo que você se concentre no impacto real, no aprendizado e na melhoria contínua.

O aprendizado e melhoria contínua são elementos fundamentais do GDD, pois é um processo iterativo e contínuo, ao contrário do web design tradicional, que tende a ser reduzido a um evento único e gigantesco. Na verdade, em vez de planejar toda a solução de uma só vez, o Growth Driven Design concentra-se em etapas evolucionárias e no alcance de metas de curto prazo. Abordagem certamente menos cara e arriscada.

Em vez de redesenhar um site a cada dois anos, com conteúdo desatualizado que se alinham com os objetivos de negócios, o GDD divide as fases do projeto em entregas evolutivas, com base em testes e otimizações derivadas da análise do comportamento do visitante no site. Essa solução também fornece uma perfeita integração entre marketing e vendas, a fim de atingir metas concretas e compartilhadas.

Desta forma, o GDD oferece um modelo mais flexível pelo qual as empresas podem mudar seus planos de ação com base nas condições e obstáculos que encontrarem.O modelo permite que o site evolua continuamente de acordo com o comportamento do público e resultados de atração, conversão e vendas, se tornando cada vez mais o principal vendedor da companhia, especialmente se aliado a outras estratégias, como o Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

growth-driven design

Growth Driven Design (GDD): como funciona

É possível dividir a GDD em duas macro-etapas: uma que inclui estratégia e lançamento no site (com duração de aproximada de 8 semanas) e uma subsequente que fornece desenvolvimento iterativo e melhoria contínua (que ocorre aproximadamente durante os onze meses seguintes).

Fase 1: Estratégia e lançamento do site

Como no web design tradicional, o processo de GDD começa com o planejamento estratégico e a identificação de objetivos precisos, a fim de ter uma compreensão clara do que estamos tentando alcançar e de quem é o público de referência.

Uma vez que as metas e objetivos foram definidos, é aconselhável iniciar uma análise quantitativa, analisando o site e seus dados, a fim de entender como os usuários chegam ao site e interagem com ele. Além de coletar um feedback importante do usuário, esta pesquisa trará quais os problemas críticos e pontos fracos, ajudando a avaliar quais oportunidades aproveitar para melhorar a experiência do usuário. Especificamente, contribuirá para esclarecer alguns pontos, tais como:

  1. Porque os usuários visitam o site.

  2. A proposta de valor que eles recebem.

  3. Como os usuários chegam ao site.

Em poucas palavras explicar por que certas ações são realizadas em um momento específico e da maneira em que incorporar esses insights sobre uma estratégia global destinada a melhorar.

Última etapa, realizar um brainstorming entre os diferentes membros da equipe, a partir do qual você recebe uma lista de desejos que contém os pontos-chave para melhorar o site. O processo de implementação dessa lista de desejos começa seguindo a regra 80/20, ou seja, desenvolvendo 20% das ações que geram 80% do impacto nos usuários.

Em seguida, a atenção está focada no processo de design das características padrão, tais como:

  1. Mensagens e Conteúdos
  2. Arquitetura de informação e experiência do usuário
  3. Wireframe
  4. Design e Skin
  5. Desenvolvimento web
  6. Teste

Terminado isso, é necessário coletar as informações para desenvolver o projeto qualitativamente e quantitativamente através do site. Especialmente em relação a:

  1. Identificação de um objetivo para cada fase.
  2. Cada suposição específica definida.
  3. Cada métrica deve ser medida para atender os pontos da lista de desejos.

Nesta etapa, é importante identificar quais aspectos e elementos do site têm maior impacto e planejar quais serão incluídos no processo de otimização. A avaliação pode basear-se nestes critérios:

Submit

Desempenho vs. objetivos: avaliar quanto o desempenho do site está alinhado com o alcance de objetivos específicos e, com base nessas considerações, identificar possíveis oportunidades de melhoria.

Pesquisa e coleta de dados: sempre com base no desempenho do website e comportamento dos usuários em relação ao site é adequado criar considerações em relação aos dados coletados e quaisquer pontos para adicionar à sua lista de desejos.

Alinhamento entre marketing e vendas, em vista do aumento das conversões, os dados e os pontos de vista das duas equipes são essenciais para melhorar o desempenho da conversão.

Melhoria da User eXperience: as melhorias feitas no site dão ao usuário uma experiência melhor e tornam a navegação mais imediata. Isso nos permite satisfazer pesquisas e atender às necessidades expressadas pelos usuários.

Fase 2: desenvolvimento iterativo e melhoria contínua

Uma vez liberada a primeira versão do site, é necessário iniciar a fase de otimização para melhorar e tornar o site lançado mais eficiente, com vistas no desempenho e na melhoria contínua. Para cada fase desse processo, é importante avaliar como qualquer alteração que será implementada pode ou não criar valor agregado para os usuários a que se destina.

As etapas de um ciclo de Growth Driven Design são:

  1. Planejamento
  2. Desenvolvimento
  3. Aprendizagem
  4. Transferência

Tudo orientado para melhoria contínua.

Planejamento

Nesta etapa, é importante identificar quais aspectos e elementos do site têm maior impacto e planejar quais serão incluídos no processo de otimização.

Depois que os elementos mais relevantes forem definidos, sua implementação deve ser iniciada. É importante prever as fases de teste para cada item que será inserido, a fim de avaliar o impacto sobre o desempenho. Para avaliar a tendência, também é aconselhável identificar métricas de medição.

Aprendizagem

Uma vez que as mudanças necessárias para a melhoria foram implementadas, é necessário definir um período de verificação e coletar dados de suporte para preparar uma análise em relação às informações coletadas pelos usuários e entender se as mudanças feitas tiveram o impacto esperado. Então, aprendendo diretamente com a experiência de campo.

Transferência

O último passo é transferir as informações coletadas em ciclos de desenvolvimento futuros. De fato, depois de analisar e interpretar os dados de cada etapa do processo, é importante avaliar se eles podem ser úteis para outras áreas de negócios.

Melhoria contínua

Ao optar por adotar uma abordagem de Growth Driven Design, você terá a oportunidade de trabalhar em seu website constantemente, a fim de responder às mudanças contínuas nas necessidades, tanto mercado quanto dos usuários.

Desta forma, será possível ter uma ferramenta constantemente otimizada com base nas informações coletadas pelos usuários e melhorar a experiência de uso e a taxa de conversão.

Entenda se essa é a estratégia certa para sua empresa agora mesmo

Nosso time de especialistas em marketing digital está à disposição para entender tudo sobre seu negócio.

Que tal marcar uma conversa conosco?

Submit